A Paraíba o tempo todo  |

Senado tem novas denúncias de funcionários fantasmas

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Denúncias de funcionários fantasmas voltaram a aparecer no Senado nesta semana. E os senadores resolveram tomar uma providência –mas para conter o vazamento de informações sobre supostas irregularidades.

Por conta de um vazamento, mais um diretor perdeu o cargo: Carlos Muniz, da Secretaria de Telecomunicações. Ele tinha acesso a informações sigilosas de senadores. A direção da Casa também vai abrir sindicância para apurar quem vazou informações sobre o senador Tião Viana (PT-AC). A conta do celular que ele emprestou para a filha viajar teria custado R$ 14.700.

Mas nem sempre a direção age tão rápido –nem quando paga salário para funcionário que não aparece no Senado. É o caso de Amélia Pizato, lotada no gabinete de Renan Calheiros (PMDB-AL). Ela é sogra de um assessor do senador. Segundo vizinhos, ela não trabalha fora de casa.

O corregedor do Senado, Romeu Tuma (PTB-SP), disse que o caso deve ser investigado. “Caso haja qualquer prática de delito ou falta de ética, poderá ser acionada a Corregedoria e, depois, o Conselho de Ética”, afirmou.

Paulo Octávio

Já Mirocelis Barbosa da Silva é lotado no gabinete de Adelmir Santana (DEM-DF), mas presta serviço no escritório político do atual vice-governador do Distrito Federal e ex-senador Paulo Octávio (DEM). Mirocelis foi nomeado em 2003 para o gabinete dele. Octávio renunciou ao cargo quando se elegeu vice.

Mirocelis acompanha o vice-governador. Imagens obtidas pela TV Globo mostram ele e Paulo Octávio na festa de aniversário de um pastor. E, em conversa telefônica gravada, ele confirma que trabalha com o vice. “Eu faço trabalho político com os parlamentares ‘evangélico’ e representando o Paulo Octávio em eventos ‘evangélico’ que ele não pode ir”, disse.

Pessoalmente, ele tentou desmentir o que havia dito. “Eu? Eu venho aqui [no Senado], sempre eu ‘tô’ aqui, principalmente terça, quarta e quinta”, afirmou. O vice-governador disse que Mirocelis trabalha para o senador Santana.

Apesar de todas as denúncias, Heráclito Fortes (DEM-PI), primeiro secretário da Casa, disse que não trata dessas questões e que cada senador é responsável pelo seu gabinete.

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) defende a adoção de regras claras. “É preciso que se faça uma reforma pra valer, para deixar bem claras as regras. Quem não se amoldar, responde por quebra de decoro”, disse.

 

G1

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe