Quem estava se preparando para o concurso para o Tribunal de Justiça da Paraíba em 2018 deverá esperar mais um pouco. Em entrevista nesta quinta-feira (07) o presidente da instituição, Joás de Brito deixou claro que não haverá previsão para um novo certame, por enquanto, sobretudo por conta do financeiro.

Apenas quando as finanças do Poder Judiciário estiveram equilibradas é que o Tribunal poderá começar a pensar em concurso público. Ele destacou que, atualmente, a prioridade da justiça é otimizar o 1º grau e assim verificar a real necessidade de novos quadros.

“Eu só vou poder pensar em concurso primeiro se houver orçamento e dinheiro, não é apenas orçamento, que às vezes você tem a previsão e não tem o financeiro, por isso só posso falar de concurso depois que houver o equilíbrio e verificarmos a situação das necessidades. Com essa priorização do 1º grau nós estamos verificando qual é necessidade real do judiciário. Depois que tivermos isso definido é que a gente vai ver qual é a necessidade que nós temos”, disse.

Joás ressaltou que o tribunal vem seguindo a determinação do Conselho Nacional de Justiça e que, no tempo oportuno, se houver necessidade, fará concurso público.

“Não temos previsão de concurso para 2018. Nós estamos tratando de uma priorização do 1º grau. Atualmente o CNJ determinou, através de uma resolução o seguinte: se o número de processos, de acervo, no 1º grau, é de 89%, e 11% é no 2º grau, então eu tenho que concentrar pessoal e orçamento no 1º grau, e no 2º eu tenho que diminuir e ajustar. Eu já avancei em alguns pontos, devolvi algumas pessoas, isso foi necessário para que houvesse um desafogo da base e logicamente isso vem sendo implementado”, arrematou.

 

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Novos diretores dos hospitais Metropolitano e de Mamanguape assumem hoje

O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), disse a imprensa que nesta segunda-feira (14) os interventores nomeados para os hospitais Metropolitano, em Santa Rita e o Regional, em Mamanguape, assumem…

Deputada estadual exonera assessor acusado de assédio

A deputada estadual Doutora Paula (PP) exonerou um de seus assessores, após ele ser acusado de assédio sexual e de divulgar nas redes um vídeo íntimo da mulher assediada. O…