'Política de Segurança Pública nas Capitais e Regiões Metropolitanas'. Esse foi o tema da palestra apresentada pelo secretário da Segurança do estado de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, no Plenário da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), na manhã desta segunda-feira (4). A palestra integra o ciclo ‘Câmara Aberta: diálogos da democracia’ promovido em comemoração aos 70 anos da Casa Napoleão Laureano.

O secretário Mágino Filho, responsável por diminuir significativamente os índices de homicídios e latrocínios no estado de São Paulo, defendeu a necessidade da área ter uma fonte financiadora que garanta recursos permanentes, como já ocorre com as áreas de saúde e educação. “A diminuição dos indicadores criminais está intimamente ligada aos investimentos. A área de segurança pública precisa ter recursos garantidos para que a união, os estados e os município enfrentem esse grande problema juntos. Segurança pública é um problema de todos os entres federativos”, afirmou.

Ele ainda definiu segurança pública como um remédio contra a violência e apoiou a ideia de que os governos precisam investir em políticas públicas que funcionem como vacinas. “O que o país precisa é de vacina. Se nós tivermos uma sociedade mais justa, mais equilibrada, com certeza teremos mais segurança. Se investirmos em assistência social e educação, que funcionam como vacinas, certamente teremos que utilizar menos o remédio (segurança)”, argumentou.

Mágino Filho ainda apontou o investimento em tecnologia como um dos fatores que contribuíram para a redução dos índices de criminalidade em São Paulo. “Há mais de cinco mil câmeras de monitoramento instaladas no estado, mais da metade delas na capital. Quase 6 mil pessoas foram presas em flagrante delito entre 2014 e 2017 só com a utilização do Sistema Detecta, que também gerencia as informações fornecidas pelas Polícias Civil e Militar, facilitando o trabalho de ambas”, citou. “Outra ferramenta, desenvolvida pela própria secretaria, o Infocrim, mapeia as manchas de criminalidade e nos dá condições de organizar a distribuição do efetivo policial de forma mais eficiente”, garantiu o secretário.

Ele ainda defendeu a necessidade de integração nacional das polícias e do envolvimento de instituições como o Ministério Público e a Justiça para combater o crime organizado de forma mais efetiva. “Se o crime é organizado é porque ele, em parte, se beneficia da desorganização das instituições. Uma organização institucional é necessária para avançarmos contra o crime. Uma saída seria a criação de uma agência integrada de inteligência para trocar informações o tempo todo. O monitoramento de perto das facções criminosas é fundamental”, concluiu.

Além do palestrante, compuseram a mesa dos trabalhos os vereadores Milanez Neto (PTB) e Humberto Pontes (Avante); o secretário de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima; o comandante-geral da Polícia Militar paraibana, coronel-PM Euller Chaves; e o secretário municipal de Segurança Urbana e Cidadania, Geraldo Amorim. A palestra foi prestigiada pelos vereadores da Capital.

""

Remédio e vacina

Pouco antes do início da palestra, Mágino Alves Barbosa Filho chegou à Câmara de João Pessoa acompanhado do seu chefe da Assessoria Militar da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, coronel-PM Joselito e assessores diretos. Também o acompanhavam o secretário de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba, Cláudio Lima, e o comandante-geral da Polícia Militar paraibana, coronel-PM Euller Chaves.

O secretário paulista foi recepcionado pelos vereadores Humberto Pontes (Avante) e Professor Gabriel (PSD). Antes de seguir ao plenário para proferir sua palestra, Mágino Alves concedeu entrevista à TV Câmara JP. “A segurança pública é nada mais do que um remédio para a sociedade. O que a sociedade de fato precisa é de uma vacina”, sintetizou o secretário, afirmando que haveria a necessidade de um investimentos específico na segurança pública, além de trabalhar melhor a saúde e a educação do país. “A participação do secretário de São Paulo enriquece o nosso ciclo de palestras. Sua experiência à frente do aparato de segurança da maior cidade do país pode em muito contribuir para a nossa Paraíba”, destacou o presidente da CMJP, vereador Marcos Vinícius.

 

Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João Azevêdo nega falta de diálogo e deixa portas do Palácio abertas para a base: “Essa crítica não me cabe”

O governador da Paraíba João Azevêdo garantiu ter deixado as portas do Palácio da Redenção abertas para os deputados estaduais que fazem parte da sua base na Assembleia. De acordo…

Auxiliar nega articulação para disputa de CG: “Não foi discutido com governador”

O secretário de Saúde do Estado da Paraíba, Geraldo Medeiros, voltou a negar, durante entrevista essa semana a existência de articulações envolvendo o nome dele para a disputa pela prefeitura…