O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou nesta terça-feira que a reforma política deve ser votada imediatamente. No entanto, o senador disse ser favorável que a proposta seja apreciada e votada em conjunto e não separadamente, como sugeriram também hoje os ministros da Justiça, Tarso Genro, e da Articulação Política, José Múcio Monteiro.

“Vamos tentar votar em conjunto. Não é possível que não tenhamos a consciência da importância da reforma política e não consigamos votar de uma só vez”, disse Sarney. “Temos que votar a reforma política imediatamente”, completou.

Segundo o presidente do Senado, alguns temas, como o da fidelidade partidária, já são consenso e não haverá dificuldade em sua aprovação. “Vamos reunir todas as propostas que estão na Casa e votar. Temos que resolver esse problema, que é um dos grandes males da política brasileira”, acentuou Sarney.

“É preciso que essa coisa mude”, disse o ex-presidente da República, citando como exemplo a reforma do Judiciário, aprovada durante sua gestão à frente do Senado. “A reforma do Judiciário criou o controle externo. Temos ainda o instrumento das súmulas vinculantes, que reduziu em 41% o número de processos que chegam ao Supremo Tribunal Federal”, exemplificou o peemedebista.

“Com a reforma política o Brasil vai melhorar e ainda conseguiremos acabar com essa imagem deprimente da política brasileira”, destacou.

Agência Brasil

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

‘Operação Famintos 2’: Confira a relação dos presos na segunda fase

O vereador campinense, Renan Maracajá (PSDC), tinha alta influência na organização criminosa suspeita de fraudar processo licitatório para o fornecimento de merenda escolar em Campina Grande. É o que aponta…

Vereador alerta para o risco de desabamento de prédio em CG e cobra atuação dos órgãos de fiscalização

Quem nunca se pegou “apreensivo” ao passar perto de uma obra e ter medo de que algo caia lá de cima que atire a primeira pedra. Isso é mais comum…