Ao analisar o recente aumento de R$ 2 bilhões que o Congresso deve aprovar para o Fundo Eleitoral, o deputado estadual e secretário de Articulação Política do Governo do Estado, João Gonçalves (Podemos), disse: “Esses fundos são um engodo e tem que acabar”. Para Gonçalves, esses recursos são um desperdício de dinheiro público que deveriam ir para a saúde, educação e outras áreas essenciais para o bem-estar da população.

João disse que, nas inúmeras eleições que já disputou na vida, jamais recebeu um real. isso tem que acabar e o Governo Federal tem de fazer com que o dinheiro desses fundos seja todo encaminhado para a Educação, para a Saúde e para outros setores que gerem benefícios para o povo. Esses fundos, só servem para os donos de partidos escolherem e darem a quem eles querem eleger. Na conjuntura democrática, muita gente que é chamada de baixo clero normalmente fica de fora”, comentou.

Projetado para bancar as campanhas de prefeitos e vereadores no próximo ano, o aumento de R$ 2 bilhões (de R$ 1,7 bi para R$ 3,7 bilhões) deve dobrar o valor do Fundo Eleitoral que foi criado em 2017 no governo Temer como forma de compensar as doações de empresas proibidas pela Justiça Eleitoral.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: se achando acima da lei, deputado Walber Virgolino faz ameaça a este colunista

O deputado estadual Walber Virgolino (Patriotas) é aquela pessoa do bem, mas confunde a prerrogativa de delegado de polícia, profissão, diga-se, muito honrada, com a de homem público, infringindo, no…

Análise – Os foguetões sobraram para o São João: por 4X1, STJ mantém RC em liberdade

Se porventura o ministro Sérgio Moro, da Justiça, veio à Paraíba pensando em (também) causar influência sobre o julgamento do habeas corpus da PGR contra o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB),…