Por pbagora.com.br
O QUE VALE PARA 2020?
Eleições 2020

Um estudo da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) revelou dados sobre as eleições municipais na Paraíba, neste ano. Dentre os dados, estão quais as siglas mais lançarão candidatos, bem como qual o percentual de gestores que poderão disputar a reeleição.

Segundo o levantamento, o MDB é a legenda com maior número de candidatos à reeleição (799), seguido pelo PSDB (617), Progressistas (404) e PSD (394). Já as legendas com menor candidaturas são o PR (1), Cidadania e PSoL (2 cada). Em todo o país, o levantamento indica que 78,7% dos prefeitos podem se candidatar à reeleição nos pleitos municipais.

Na Paraíba, 67,7% dos prefeitos paraibanos estão aptos para enfrentar a reeleição em 2020. O número corresponde a 151 dos 223 gestores municipais do Estado, sendo que maior parte, 124, são homens, e outras 27 são mulheres. Por outro lado, a Paraíba tem 72 (32,3%) prefeitos que estão encerrando o segundo mandato e não puderam se candidatar nas eleições deste ano.

No Brasil, dos 5.568 prefeitos, 4.384 gestores estão aptos a concorrer ao pleito pela segunda vez seguida. Os dados foram consolidados com base dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e em cadastros próprios da entidade.  O estudo aponta ainda que apenas 1.184 dos prefeitos no exercício atual, ou seja, 21,3%, já foram reeleitos no pleito de 2016 e, portanto, não podem participar da disputa que se realiza em 15 de novembro (primeiro turno). A região Nordeste lidera com o maior número de gestores que podem tentar permanecer no cargo (1.377). Ao olhar para cada Estado da Federação, a maioria poderá manter, em média, 80% dos gestores locais após as eleições municipais.

Regras para as emissoras de Rádio e TV – Você que pensa em defender seu candidato nos programas de rádios e tv´s, saiba que desde o último dia 17 teve início do período para que emissoras de rádio e televisão passem a observar as restrições ao conteúdo que transmitem sobre candidatos, partidos políticos e coligações.

A medida, que deverá ser adotada até o dia 29 de novembro, também impede qualquer revelação de posição política de eleitores. As restrições estão previstas na Lei das Eleições (9.504/1997) e fazem parte do calendário eleitoral 2020. Caso as regras não sejam cumpridas, é possível que haja cassação do registro da candidatura ou do diploma de eleito por uso indevido dos meios de comunicação. Enquanto durar o período eleitoral, as emissoras de rádio e tv vão poder organizar debates políticos ou citar candidatos, partidos ou coligações em programas jornalísticos.

No entanto, não é permitida a exibição de qualquer conteúdo que mencione ou favoreça determinado político ou partido, por exemplo. Até a data do segundo turno das eleições, as emissoras de rádio e televisão não podem mais exibir imagens de realização de pesquisa ou consulta eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado, ou que haja algum tipo de manipulação de dados.

 

Redação

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Projeto de Wilson Filho determina atendimento prioritário às mulheres vítimas de violência

Combater a violência contra às mulheres é uma das prioridades do mandato do deputado estadual Wilson Filho (PTB). Visando mais agilidade na investigação de vítimas de violência doméstica na Paraíba,…

Vice de Bolinha na disputa pela PMCG tem registro indeferido pela Justiça

Uma decisão do juiz eleitoral, Alexandre José Gonçalves Trineto, da 16ª Zona Eleitoral em Campina Grande indeferiu o registro de candidatura de Annelise Mota de Alencar Meneguesso (PSL), que concorre como…