Por pbagora.com.br

Ricardo Marcelo desmente assédio por parte do grupo ligado a José Maranhão e ratifica compromisso com base: “Voto no PSDB”

O presidente da Assembléia Legislativa da Paraíba Ricardo Marcelo (PSDB), desmentiu, em entrevista ao PB Agora, que tem recebido assédio por parte de integrantes do grupo ligado ao governador José Maranhão (PMDB) e também de integrantes da oposição para contar com o seu apoio nas eleições 2010.

“Tenho feito um trabalho ao longo desses quatro anos como deputado e em todas as nossas campanhas nós crescemos, de 2002 para 2006 nós crescemos quase 100%”, contou.

Quanto aos assédios por parte de lideranças políticas na luta por uma possível adesão: “Tenho compromisso com os candidatos do meu partido, voto no PSDB”, salientou.

Sobre uma definição políticas, Marcelo adotou a cautela, onde o “momento” não é adequado para precipitações: “Eu hoje cuido apenas da minha eleição e peço votos para Cássio e Serra”, contou.

Ricardo Marcelo também comemorou a realização de um encontro com todos os deputados em um hotel da Capital, onde foi discutida a situação dos deputados “gazeteiros”, que se ausentaram das votações desta semana na Casa de Epitácio Pessoa. Ficou estabelecido um caléndário de votações para as terças e quartas.

O presidente da ALPB, também confirmou que estará realizando o pagamento dos servidores no legislativo estadual dentro do mês: “Os servidores tem o nosso respeito e esse é um compromisso assumido”, concluiu.

Henrique Lima

PB Agora

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

2º turno: Cícero Lucena recebe apoio do Cel. Kelson Chaves, do Patriotas

O candidato à Prefeitura de João Pessoa dos Progressistas, Cícero Lucena, recebeu nesta terça-feira (24) o apoio do candidato a vereador dos Patriotas, Coronel Kelson Chaves. Kelson, que obteve 1.762,…

Guia eleitoral de Boulos une depoimentos de Lula, Ciro, Marina e Dino. Assista!

Programa eleitoral exibido na noite de sábado (21) na cidade de São Paulo mostrou depoimentos de apoio a Guilherme Boulos (Psol) de quatro lideranças da esquerda: Lula (PT), Ciro Gomes…