Por pbagora.com.br

João Pessoa está muito perto de passar por um dos períodos de desenvolvimento mais profícuos dos últimos dez anos. Tudo resultado de uma guerra que no lugar de destroços pode fazer da Capital paraibana um canteiro de obras.

Simplesmente porque é na Capital que se começa a desenhar o campo de batalha para uma disputa que promete balançar a Paraíba em 2010, entre o prefeito Ricardo Coutinho e o governador Maranhão.

E ambos, entre tantas armas disponíveis, vem se confrontando por meio de obras e ações. Como pudemos ver mais nitidamente há duas semanas, quando Maranhão e Ricardo anunciaram obras ou fizeram inaugurações na mesma hora, em lugares diferentes.

Na segunda, por exemplo, enquanto Maranhão assinava ordem de serviço para construção do Centro de Convenções, o prefeito Ricardo Coutinho inaugurava ampliação e reforma do Restaurante Popular.

Nesta terça, enquanto Ricardo inaugurava ginásio de esportes de uma escola no Altiplano, Maranhão reabrir a Casa da Cidadania em Jaguaribe.
´
E, pela primeira vez, tornava público o que já não era mais segredo: que não há mais como manter relação política com o prefeito da Capital.

Nas entrelinhas, Maranhão provocou Ricardo como quem diz: “Agora, vamos ver quem faz mais”. Na intenção de deixar claro que as ações governamentais que virão são fruto e obra apenas do governador Maranhão, adversário político do prefeito.

O governador sabe que para atingir Ricardo o melhor caminho é fazer bem onde Ricardo não pode ou não quis fazer. A boa notícia para quem mora em João Pessoa é a de que Ricardo só tem uma forma de se vingar e de reagir às “provocações” do governador: realizando ainda mais obras na cidade.

Assim, o rompimento político que faz feridos apenas do ponto de vista partidário deverá fazer de João Pessoa um campo de batalha às avessas, onde construir será sinônimo de vitória.

 

 

 


Gonçalves: tucano errante

O deputado estadual João Gonçalves já disse que deixará o PSDB. Basta que o partido, com aval do próprio senador Cícero Lucena, marche em direção ao projeto de unidade em torno do prefeito Ricardo Coutinho (PSB) em 2010, como se costura internamente.

 

Tem ou não DEM?

Informação revela que o senador Efraim Morais, presidente do DEM, não entende porque o prefeito Ricardo Coutinho anda recusando suas ligações. Teme que o Mago insista em reservar um espaço para o PT ou outra legenda na chapa majoritária.

 

Coriolano como suplente de senador

O prefeito Ricardo Coutinho achou por bem retirar a candidatura do irmão, Coriolano Coutinho, a deputado federal para evitar ciumeiras. Mas ainda não matou por completo a possibilidade de manter o irmão na onda de 2010.

Trabalha-se a possibilidade de Coriolando ser lançado primeiro suplente de Senador em um dos candidatos da chapa majoritária do PSB. Inclusive, como suplente de Cássio.
 

Notícias relacionadas

Prefeita de Conde diz não ter parentes na gestão e rebate denúncia de nepotismo

A prefeita de Conde, Karla Pimentel, rebateu, neste domingo (16), denúncia feita ao Ministério Público Estadual (MPPB) de suposta prática de nepotismo e contratação de servidores fantasmas na Prefeitura da…

Frente formada por PSB, PV, PCdoB, PT e PSOL não faz oposição a João Azevêdo

A frente formada pelos partidos PSB, PV, PCdoB, PT e PSOL, que se uniram contra o facismo e a favor da população para as eleições de 2022 não tem o…