Por pbagora.com.br

O prefeito Ricardo Coutinho (PSB) negou a existência de qualquer convênio com a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) no que diz respeito a uma operação “tapa buraco”, na Capital.

A declaração do socialista rebate a resposta do governo do Estado em relação à cobrança, por parte do vice-prefeito Luciano Agra a Cagepa no sentido de que o órgão execute os trabalhos de reconstrução das pistas.

“Nós não queremos medir forças com a Cagepa, nós só queremos que o órgão cumpra com a sua obrigação”, declarou.

Conforme Ricardo, a prefeitura não tem como tapar todos os buracos existentes, pois não seria justo com o dinheiro do contribuinte pessoense. “Em JP existe mais de 1000 buracos de responsabilidade da Cagepa e a prefeitura não tem como tapar todos, pois não seria justo com dinheiro do contribuinte pessoense”, explicou.

O Socialista lembra que hoje, a prefeitura tem 16 pessoas contratadas para tapar os buracos de responsabilidade da Seinfra, para que quando aberto, o buraco seja fechado no mesmo dia.

Um sinal de não haver disputas e nem de medição de forças, é que, segundo o prefeito, João Pessoa investiu R$ 38 milhões em esgotamento sanitário e vai entregar tudo pronto para que a Cagepa cobre as taxas. “Isso mostra a vontade da prefeitura em investir na área”, acrescentou.

“Não existe briga, mas, nós entendemos que esse problema não se resolve com convenio, cada uma que faça sua parte”, disse.

A explicação do problema dos buracos é, conforme Ricardo, que a Cagepa suspendeu o contrato com a empresa para tapar os buracos e, no entanto, esqueceu de contratar outra.

“João Pessoa não pode continuar a ter uma emrpesa tão importante quanto a cagepa a apresentar esta insuficiência”, finalizou.

 

Leia também:

Luciano Agra: Cagepa é a única responsável pelos buracos de JP

Tapa-buracos: Cagepa quer parceria com prefeitura da Capital

 

PB Agora

 

 

 

 

 

Notícias relacionadas

Medicamentos genéricos custam até 65% mais barato em CG

A pesquisa de preço de medicamentos do mês de abril do Procon de Campina Grande constatou que os medicamentos genéricos são 65% mais baratos do que os de referência (marca).…

Criação de frente de esquerda visa oposição a Bolsonaro, explica Jackson

Em entrevista ao PB Agora, o presidente do PT da Paraíba, Jackson Macêdo, um dos participantes da reunião que culminou na criação da ‘Unidade Democrática pela Paraíba’, formada por, além…