Por pbagora.com.br

Equipe de campanha de Ricardo Coutinho ‘dorme’ no ponto e ex-prefeito também pode ficar inelegível
 

 

A permanência da candidatura do ex-prefeito de João Pessoa Ricardo Coutinho (PSB) ao governo do Estado pode estar com os dias contados devido a supostos erros cometidos pela equipe de campanha. O não pagamento de uma multa e a não renovação da licença – Ricardo é servidor da Universidade Federal da Paraíba – pode tornar o candidato inelegível para as eleições de outubro deste ano.

Durante o segundo encontro das oposições, realizado este ano em Campina Grande, Ricardo Coutinho foi multado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, em R$ 5 mil. A multa não foi paga – o que deveria ter ocorrido até o registro da candidatura – e também não foi pedido pela equipe o parcelamento.

A orientação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é clara: caso a multa não seja paga até a data do registro de candidatura (o prazo se encerrou no dia 5 deste mês), o candidato é considerado inelegível.

Além disso, a elegibilidade de Ricardo está ameaçada por conta de um simples requerimento, que "passou batido" pela equipe de campanha da Coligação ‘Por Uma Nova Paraíba’. Ricardo deveria requerer licença ou afastamento da função de servidor público para poder disputar cargo majoritário, como está descrito na Legislação Eleitoral.

Ele tinha até o dia 5 de julho para requerer essa licença, o que não aconteceu. Informações dão conta de que o ex-prefeito estaria gozando de uma licença prêmio (de três meses). A licença se expirou e ele não pediu a renovação. Nenhum membro da equipe de campanha se atentou para a questão. Com isso, ele continua não licenciado.

Essa não é a primeira vez que a equipe de campanha de Ricardo Coutinho "atrapalha" o socialista. Foi assim no caso da fraude das atas e da entrega de brindes, durante a campanha eleitoral passada, cujo processo ainda está em tramitação na Justiça Eleitoral

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MPs recomendam revogação de parte de decreto que permite eventos em massa em JP

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público da Paraíba (MP/PB) recomendaram, nesta quinta-feira (2/12) ao Município de João Pessoa que revogue trechos de decreto que possibilita o funcionamento…

Covid-19 causa morte de Dráuzio Macêdo, sindicalista e assessor da CMJP

Morreu na noite de ontem, 02, o ex-sindicalista Dráuzio Rodrigues de Macêdo, de 53 anos, mais uma vitima da Covid-19. Ele trabalhava atualmente na Câmara Municipal de João Pessoa onde…