Por pbagora.com.br

As alegações do advogado do ex-governador Cássio Cunha Lima de que o processo teria perdido o objeto foram novamente rejeitadas pelo procurador do Ministério Publico Werton Magalhães.

De acordo com o procurador, “o abuso de poder econômico em questão é considerado grave e poderia culminar até em cassação de mandato, mas como no caso, não há mais possibilidade, já que o réu já é cassado, o TRE pode entender pela aplicação de uma inelegibilidade acrescida de aplicação de multa”.

À pedido dos juizes, a sessão teve intervalo de dez minutos. A previsão é que ela se estenda até as 20h.
 

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Representantes da transição de Cartaxo para Cícero na PMJP se reúnem hoje

Uma reunião entre os membros das comissões de transição do atual prefeito, Luciano Cartaxo (PV) para o prefeito eleito, Cícero Lucena (PP), devem se reunir nesta sexta-feira (04), quem afirma…

Em São Bento: MPE ajuíza Aije por candidaturas ‘fantasmas’ na Câmara

O Ministério Público Eleitoral ajuizou uma ação de investigação judicial eleitoral (Aije) contra 16 candidatos do Partido Republicano da Ordem Social (Pros), do município de São Bento, por candidatura fictícia…