Por pbagora.com.br

Mesmo tendo se passado dois dias, o debate entre os candidatos ao governo do estado, o evento ainda repercute entre a população e os políticos. O vereador de João Pessoa, Marcos Vinicius (PSDB), rebateu algumas declarações do ex-prefeito de João Pessoa durante o debate, principalmente no que diz respeito a gastos com publicidade.

Ricardo acusou o governador José Maranhão de gastar mais de R$ 20 milhões com publicidade. “Este é um assunto que o ex-prefeito não pode criticar, já que quando estava na prefeitura de João Pessoa, excedeu nos gastos com propaganda e todo sabe e viu as revistas que eram feitas com dinheiro público, com material caro e distribuída dentro dos jornais do estado, mídias fortes nas televisões e paginas e mais paginas nos jornais de grande circulação e até nos jornais de bairros, além do rádio”, declarou.

Vinicius lembrou inclusive, que foi flagrada a entrega de uma edição destas revistas no encontro político em Campina Grande. “O que ficou configurado como crime eleitoral, quando o ex-prefeito foi multado pela Justiça Eleitoral”.

Sobre os questionamentos na segurança, o vereador declarou que Ricardo foi quem contribui para gerar clima de insegurança na Capital, quando permitiu o espancamento de trabalhadores nas ruas de João Pessoa por agentes da prefeitura. “Isso aconteceu com ambulantes, camelôs, agentes de saúde, alternativos e feirantes, que foi destaque em toda imprensa paraibana e nacional”.

O tucano criticou ainda a postura adotada pelo prefeito na educação e citou o fato da merenda escolar hoje em João Pessoa ser de péssima qualidade e a empresa que fornece essa merenda ser investigada por fraudes em outros estados.

“Sem falar na Saúde, onde os PSF’s não tem médico e nem remédio, a população sofre com a demora na marcação de consultas e temos caso de mães que deram a luz sem fazer uma única ultrassonografia. Como se falar em respeito com a Saúde, se em João Pessoa, perseguiu agentes de saúde e médicos, fechou hospitais e maternidades”.

O vereador criticou ainda as reformas nos mercados públicos. “Até o Mercado Central, onde só foi feita uma gambiarra na fachada, mas o seu interior é precário”. Ele citou ainda um caso denunciado por uma feirante do Mercado de Jaguaribe, que tem diabetes e disse dividir o banheiro masculino com homens e outras mulheres, por que o feminino está quebrado há meses.

“Essa foi a herança maldita deixada por Ricardo para o atual prefeito Luciano Agra, que vem adotando uma postura diferente do seu antecessor”.

 

 Assessoria

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Na mira do MP: 22 prefeitos não assinaram acordos para o fim dos lixões na Paraíba

O Ministério Público estadual (MPPB) deu prazo de um ano para que prefeitos paraibanos fechassem lixões e dessem destino adequado a resíduos sólidos – o prazo será encerrado em 1º…

Análise – Cícero e a corrupção: este é um terreno minado em que a gestão não pode vacilar

Um dos maiores desafios que o prefeito eleito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), terá ao longo dos seus primeiros quatro anos de gestão será precaver-se contra a corrupção. Primeiro…