O ex-governador da Paraíba e atual presidente da Fundação João Mangabeira, Ricardo Coutinho (PSB) foi destaque na edição de ontem (15) do jornal Português Expresso, que trouxe uma matéria sobre os vazamentos das mensagens entre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e procurador da República, Delton Dallagnol, no âmbito da Operação Lava Jato e que tinham como principal alvo os processos contra o ex-presidente Lula (PT).

Ao ser questionado sobre quem interessa a verdade no caso de Moro. RC responde: “Á democracia”, onde destaca que o socialista paraibano procura articular uma frente de esquerda suprapartidária com os candidatos à presidência Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boullos (PSOL).

Na entrevista Coutinho diz ver uma crise muito grave decorrente do ódio à política que se estabeleceu e cresce no Brasil e diz que parte dele pode ser explicado pelas gravações que vieram à tona e confirmam “uma conspiração comandada por Moro e procuradores que resolveram agir na política. Está claro que são pessoas que decidiram mexer com a história do Brasil, atuar nas eleições e garantir a ascensão de alguém de extrema-direita, por acreditarem que os fins justificam os meios”.

Veja a publicação abaixo ou no link: https://expresso.pt/internacional/2019-06-15-Sergio-Moro-implacavel-mas-nao-imparcial

Redação

Total
31
Compartilhamentos
Total
31
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Toffoli suspende investigações com dados do Coaf contra filho de Bolsonaro

BRASÍLIA — O presidente do Supremo Tribunal Federal ( STF ), ministro Dias Toffoli , determinou nesta terça-feira a suspensão de todos os processos judiciais em que dados bancários de…

Análise: roubo de documentos, áudios vazados, e o silêncio do prefeito Emerson Panta

A Câmara Municipal de Santa Rita abriga segredos escusos. Ou pelo menos abrigava, até o PB Agora ter acesso a informações confidenciais, estando contidas as tais em vídeos e áudios,…