Por pbagora.com.br

 A conta dos governadores aliados a presidente Dilma Rousseff (PT) de que já há 20 gestores favoráveis a volta da CPMF ainda não inclui o governador Ricardo Coutinho (PSB).

 

O gestor paraibano participa nesta terça-feira (22) de uma reunião em Brasília com governadores socialistas com o presidente do partido. Além, dele estão presente Paulo Câmara (Pernambuco) e Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal). A lém dos três governadores, a direção nacional do Partido Socialista Brasileiro vai reunir a bancada de 34 deputados federais e sete senadores,  para analisar a situação política.

 

O posicionamento do partido tomado a partir dessa reunião deve influenciar, sobretudo, na votação dos socialistas à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que recria a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), entregue ontem pela presidente Dilma para tramitação na Câmara Federal.

 

O governador reiterou ontem que é favorável à proposta. “É o tributo mais democrático que existe”, declarou. A volta da CMPF tem o apoio também do governador Rodrigo Rollemberg, desde que a contribuição seja recriada para atender os gastos com a saúde. Já o governador de Pernambuco tem se posicionado com reticência à proposta por considerar uma medida extrema, sem ressonância popular.

 

Na última quinta-feira, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, declarou que as medidas anunciadas pela equipe econômica “frustraram a sociedade”. A tendência é que ele oriente os correligionários a se posicionarem contra a CPMF. Na avaliação do presidente do PSB, Dilma erra ao elevar ainda mais a carga tributária.

 

PBAgora

Notícias relacionadas

Opinião: a força do PP nas eleições de 2022 pode mudar o cenário político na PB

Em política, nada é desprezível. Gostando, ou não, o próprio homem é um recipiente político. A filosofia explica tal fato. Aristóteles formulou um pensamento próximo ao que escrevi. Claro! Meu…

Frente formada por PSB, PV, PCdoB, PT e PSOL não faz oposição a João Azevêdo

A frente formada pelos partidos PSB, PV, PCdoB, PT e PSOL, que se uniram contra o facismo e a favor da população para as eleições de 2022 não tem o…