“O Lula sai da prisão muito maior do que entrou”. A análise é do ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) ao comemorar a soltura do ex-presidente Lula (PT). Consciente de que a saída por si só não resolve a grave crise política que o país vive, Coutinho lembrou que o ato representa a mais importante derrota do neo-facismo que manipula desde consciências do Brasil até as instituições.

O desabafo foi feito em suas redes sociais, na noite desta sexta-feira (08), na legenda de uma fotografia do dia em que o ex-presidente esteve na Paraíba para participar da inauguração simbólica da Transposição.

CONFIRA

“O Lula sai da prisão muito maior do que entrou mesmo que isso, por si só, não resolva todos os problemas do País e até do campo progressista. Mas, sem duvida, foi a mais importante derrota do neo-fascismo que manipula desde consciências do Brasil até as instituições. Que o Lula tenha consciência dessa encruzilhada e que possa ajudar a convergir as forças democráticas sem exclusivismos e hegemonismos. Todo democrata, todo brasileiro que ame o seu país, deve estar feliz com a libertação da maior liderança do País, condenado num processo manipulado e vergonhoso. Lula já está Livre. Cabe ao Povo, agora, libertar o Brasil”, postou.

O Lula sai da prisão muito maior do que entrou mesmo que isso, por si só, não resolva todos os problemas do País e até…

Posted by Ricardo Coutinho on Friday, November 8, 2019

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“PB tem uma das menores taxas de transmissibilidade”, diz líder ao defender prorrogação do isolamento

Em entrevista a imprensa o líder do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba ALPB, deputado Ricardo Barbosa (PSB), fez uma avaliação sobre as medidas adotadas pelo governador João Azevêdo (Cidadania)…

Eduardo cobra resposta sobre Plano de Retomada de Negócios e sugestões emergências

O deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro (PRTB), cobrou uma resposta do Governo do Estado sobre…