A Paraíba o tempo todo  |

Queda de aliado de RC ganha indícios iminência; razões da perda do mandato são fortes

Queda de parlamentar na ALPB aliado de RC ganha fortes indícios iminência; razões para perda do mandato são incontestáveis, revela dirigente

Antônio de Souza enumera razões para perda de mandato por parte do deputado da base do Governo

O presidente estadual do PMDB da Paraíba, Antônio de Souza, revelou nesta segunda-feira (19), em entrevista ao PB Agora, acreditar na perda do mandato do deputado estadual Doda de Tião (PPL), pela prática da infidelidade partidária configurada.

Doda foi o único parlamentar desfiliado do PMDB que foi alvo da ação da legenda na justiça eleitoral. O mandato dos outros dois parlamentares, Trocolli Junior e Wilson Braga, que também deixaram a sigla foram alvos apenas da ação dos suplentes.

Mostrando disposto a lutar pela vaga na Assembleia, Antonio de Souza chegou a enumerar alguns erros cometidos pelo ex-aliado e que ratificam a motivação da ação – infidelidade partidária.

“O partido só vai requerer o mandato de Doda de Tião. Dos demais, apenas os suplentes é que vão reivindicar”, destacando que o PMDB entrou com ação contra o parlamentar dentro do prazo estipulado pela Lei.

Segundo Souza, o deputado Doda de Tião já foi notificado e já foi instado a se manifestar sobre o pedido. Depois disso, ficara a cargo do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba dá o verdicto.

“Logicamente que o deputado Doda de Tião, se cassado pelo TER, poderá recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral, no entanto eu acredito que ele será punido, pois isso é o que preconiza a lei”, falou.


O PROCESSO

Antonio de Souza destacou que chegou a lamentar a ação contra o ex-colega de partido e até mesmo o alertou sobre a possibilidade do desfecho judicial em relação ao caso.

“Nós conversamos muito nas reuniões do PMDB e eu disse a ele – se você continuar no partido você tem que obedecer ao estatuto, o código de ética e também o programa do partido, porém, se você continuar desse jeito o partido vai continuar pedindo seu mandato na justiça”, lembrou.

MOTIVAÇÃO

Segundo o presidente da legenda, Doda de Tião teria dito que iria se filiar ao PSB e, no entanto, no dia 17 de outubro ele afirmou que estava nos quadros do PSD, sigla criada em 2011. No dia 18 de outubro, Doda mudou o discurso e afirmou, publicamente que teria viajado para São Paulo, para ver alternativas, já que havia sido impedido de ingressar no partido do vice-governador do Estado.

A partir daí, Doda deu uma terceira versão dos fatos e afirmou que se filiou no PPL (Partido da Pátria Livre) no dia 03 de novembro, data máxima para a filiação partidária.

“Nós fomos ao TRE e ao TSE tentar saber onde é que ficava o diretório do PPL no município de Queimadas, no entanto, constatamos que não existe esse diretório lá no município e todos nós sabemos que alguém só pode se filiar em um partido que exista no município onde você é eleitor”, justificou.

Para Souza, até o dia da filiação de Doda de Tião, inexistia diretório do PPL no município de Queimadas e, inexistindo diretório, inexiste também a filiação.
“O caso dele é complicado, por isso que nós acreditamos que iremos resgatar o mandato”, falou.

Caso do deputado Doda de Tião perda o mandato, o suplente Carlos Batinga assume a vaga de titular na Casa de Epitácio Pessoa.
 

 

PB Agora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe