Em reunião por videoconferência com os dirigentes estaduais do partido, na última quarta-feira (11), o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, comunicou que a Executiva Nacional da sigla criou um grupo de trabalho com a finalidade de elaborar um planejamento estratégico com vistas às eleições municipais de 2020 e às eleições gerais de 2022. O grupo de trabalho, denominado “Eleições 2020” e composto por 20 membros, dentre os quais o deputado federal paraibano e presidente estadual do PTB Wilson Santiago.

Wilson foi escalado para ser o coordenador regional do PTB no Nordeste. Confira os demais membros do grupo. O grupo será formado por Roberto Jefferson, presidente do PTB; Benito Gama, vice-presidente nacional e presidente do PTB da Bahia; Pedro Lucas Fernandes, líder do PTB na Câmara dos Deputados e presidente do PTB do Maranhão; Maurício Dziedricki, deputado federal pelo Rio Grande do Sul e tesoureiro-geral do PTB; Paulo Bengtson, deputado federal pelo Pará; Braulio Braz, deputado estadual e presidente do PTB de Minas Gerais; Alex Canziani, ex-deputado federal e presidente do PTB do Paraná; Francisco Galindo, presidente da Fundação Ivete Vargas (FIV) e do PTB de Mato Grosso; Armando Monteiro, ex-senador por Pernambuco; João Vicente Claudino, presidente do PTB do Piauí; Cristiane Brasil, ex-deputada federal pelo Rio de Janeiro; Everton Braz, presidente do PTB de Porto Alegre (RS); Norberto Martins, primeiro-secretário-geral; Luiz Rondon, primeiro-tesoureiro; Honésio Ferreira, secretário de Comunicação; Luiz Francisco Correa Barbosa, secretário Jurídico; Graciela Nienov, presidente nacional do PTB Mulher, Pedro Igor Chaves, presidente nacional da Juventude do PTB; e Luiz Gustavo Pereira da Cunha, primeiro-secretário Jurídico.

Na reunião, Roberto Jefferson disse que, devido ao resultado que o partido teve na última eleição, o fim das coligações proporcionais (vereador e deputado) e os critérios da cláusula de desempenho, a Direção Nacional decidiu criar o grupo para ajudar os diretórios estaduais a elaborar, a partir de agora, um plano de ação para fortalecer as bases do PTB, para que assim o partido tenha mais condições de competitividade e amplie sua representatividade em âmbito municipal, estadual e federal.

O presidente Roberto Jefferson informou ainda que, desse grupo, cinco pessoas foram designadas para coordenar cada região do Brasil. Segundo o líder petebista, a ideia é que cada coordenador interaja diretamente com os estados de sua respectiva região e acompanhe, pessoalmente, a evolução do trabalho apresentado por cada Estado. Os coordenadores regionais serão: Paulo Bengtson (Norte), Wilson Santiago (Nordeste), Francisco Galindo (Centro-Oeste), Maurício Dziedricki (Sul) e Norberto Martins (Sudeste).

Durante a reunião, Roberto Jefferson declarou que, em novembro, o PTB fará uma reunião presencial com os 27 presidentes estaduais para discutir os planos de ação sobre as eleições.

“Temos preocupação, sim, porque nós precisamos, no mínimo, de 500 mil votos a mais para atingirmos a cláusula de desempenho de 2022. Se o PTB não conseguir chegar a exigência de 2% dos votos válidos obtidos nacionalmente para deputado federal em 1/3 das unidades da federação, sendo um mínimo de 1% em cada uma delas, nós não conseguiremos sobreviver como legenda”, afirmou.

“Portanto, antecipando a esses fatos, nós constituímos esse grupo de trabalho da Executiva Nacional do PTB e elegemos coordenadores regionais, para que possamos, no contato com os presidentes estaduais, estabelecer uma meta para as eleições de 2020, que decorrerá no resultado desenhado no preâmbulo das eleições de 2022”, acrescentou o presidente.

Ao final da reunião, Roberto Jefferson destacou que continuará liderando o processo de renovação do PTB, e que esse grupo de trabalho é a favor do partido.

“O fundamental é a sobrevivência e prevalência do partido. Ninguém é insubstituível, ninguém é presidente eterno. Não quero ser o presidente mais longevo do PTB, e sim o presidente que manteve o partido vivo e que continuará a sua missão, tendo gente por todo o Brasil, levando a história e o legado de Getúlio Vargas adiante e que seja pujante por mais 70 anos”, encerrou o líder petebista.

Formulários

Na reunião, Alex Canziani reforçou a importância de cada Estado ter a clareza de suas metas para o pleito do ano que vem, além da dedicação com o trabalho, senão, frisou ele, dificilmente o partido atingirá a cláusula de desempenho de 2022. Ainda de acordo com o secretário, a finalidade do grupo de trabalho não é dizer o que cada Estado deve fazer, e sim ouvir as sugestões, pretensões e expectativas de cada dirigente, “para que a gente possa então ter um desenho daquilo que será a participação do PTB nas eleições de 2020”.

O ex-deputado alertou que cada Estado deverá escolher o seu representante. Segundo ele, pode ser o presidente ou outro membro do partido. Avisou também aos presidentes que serão encaminhados formulários para cada Estado a respeito das eleições de 2012, 2016 e 2018. Acerca de 2012 e 2016, será informado a quantidade de candidatos a prefeito e vereador lançados e eleitos. Sobre 2018, o número de candidatos lançados e eleitos para deputado estadual e federal e o percentual de votos que a sigla fez, no Estado, para federal.

Após terem ciência desses números, segundo Canziani, os estados deverão responder, até o dia 11 de novembro, perguntas como: “Quantos candidatos a prefeito e vereador o partido pretende lançar em 2020? Em quais municípios o partido pretende lançar candidato? Quais as ações que o partido está fazendo e fará para viabilizar a consecução desse objetivo?”.

Também será questionado, por exemplo, “Qual a meta do partido para 2022? Tem alguma sugestão para o Diretório Nacional na concretização dessa meta?”.

“Queremos criar as bases em 2020 para que possamos chegar em 2022 com mais força, com mais condições, para poder não só atingir a cláusula de barreira, mas, mais do que isso, que a gente consiga passar largamente a meta que nos dá a legislação eleitoral”, frisou Alex Canziani, que anunciou que o PTB pretende realizar um encontro nacional em 14 de dezembro. “Fazer um grande evento de filiação para encerrar o ano de 2019 e, principalmente, para mostrar a força que nós vamos ter para 2020 e 2022”, encerrou.

 

Redação com assessoria

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Audiência proposta por paraibano alerta para privatização de estatais

A Comissão de Legislação Participativa, colegiado presidido pelo petista Leonardo Monteiro (MG), anunciou que fará uma audiência pública para debater as consequências da privatização de 17 empresas estatais, que foi…

CONTRA A INTERVENÇÃO: vereadores do PSB de João Pessoa renunciam a cargos que ocupavam na sigla

Na manhã desta segunda-feira (23), o vereador Léo Bezerra entregou a condição de líder do PSB na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). O parlamentar declarou que estava desconfortável no…