Por pbagora.com.br

Disposto a desconstruir a gestão de José Serra (PSDB) à frente do Ministério da Saúde, o comando da campanha de Dilma Rousseff (PT) começou a mapear medidas do setor implementadas entre 1998 e 2002 e incorporadas ao "legado do tucano".

A ideia é questionar o papel de Serra como responsável pelo "melhor programa de combate à Aids do mundo" e pela implantação dos remédios genéricos no país.

"Ele está capitalizando muita coisa que não é a realidade. Estão vendendo ideias que não são da forma como estão colocadas", afirmou o ex-ministro e candidato ao Senado Humberto Costa (PT-PE), coordenador do programa de governo de Dilma na área de saúde.

AIDS

Segundo Costa, o Programa de Aids foi criado em 1983 em São Paulo, no governo de Franco Montoro, então no PMDB e de quem Serra foi secretário do Planejamento.

O site do PSDB afirma que "Serra implantou um programa de combate a Aids considerado o melhor do mundo pela OMS (Organização Mundial da Saúde)".

Outro questionamento é relacionado aos genéricos. Dilma creditou publicamente a "paternidade" desse tipo de remédio ao ex-ministro Jamil Haddad, do governo Itamar Franco.

O PSDB, contudo, sustenta que Serra apresentou a "Lei dos Genéricos" e pretende ampliar o programa, caso seja eleito presidente.

"[Serra] ainda diz que foi ele quem fez o Programa de Saúde da Família. Não foi. Isso foi no governo Collor."

A estratégia petista ganhou corpo anteontem em uma reunião de Dilma com o ministro José Gomes Temporão (Saúde) e o ex-presidente da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) Fausto Pereira.

Em cinco horas de conversa, a candidata recebeu um diagnóstico da saúde no governo Lula e um estudo preliminar com propostas para serem exploradas na campanha eleitoral.

Programa

O PT pretende concluir na próxima semana o programa de governo com sugestões dos partidos aliados. Um dos pontos prevê a defesa do projeto de lei que regulamenta a chamada Emenda 29, que fixa percentuais para gastos em saúde. A proposta está em discussão no Congresso e aumentaria os recursos destinados ao setor.

O programa contemplará ainda a ampliação do programa Farmácia Popular, uma parceria do governo com estabelecimentos privados, e o fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde).

 

Folha online

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Gestão de João Azevêdo tem 47% de aprovação em JP; Bolsonaro tem 42%

Em pesquisa do RedeMais/Instituto Opinião em João Pessoa, o governador da Paraíba, João Azevêdo, tem a gestão aprovada por 47,4% dos pessoenses. Já a aprovação do presidente da República, Jair…

João Henrique e Micheila, continuam internados com covid-19, em JP

O deputado estadual João Henrique e sua filha, Micheila Henrique continuam internados em um hospital particular de João Pessoa acometidos de covid-19. De acordo com informações da assessoria do parlamentar,…