Por pbagora.com.br

O presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino, manifestou sua posição contrária às formas adotadas pela polícia em abordagens nos eventos carnavalescos, como o de ontem no Ponto de Cem Réis. Galdino considerou como excessivas as medidas dos policiais diante de um grupo de estudantes que reagiram à prisão de um dos jovens. “Em primeiro lugar, a utilização inaugural do spray de pimenta sobre pessoas pacíficas e apenas presentes no ambiente do conflito foi medida desproporcional”, argumentou.

“A impressão que se tem, diante da abordagem da policia à estudantes ontem, é que a polícia age de forma precipitada e desproporcional.

Em meio a resistência de um jovem de ser revistado por policial, o comportamento da autoridade policial nos pareceu precipitada, agressiva e anti-diálogo”, afirmou.
Segundo o dirigente do PSOL, os amigos do jovem abordado agiram de boa fé, na condição de amigos e de foliões. “Os amigos do jovem resistente à abordagem policial agiram como que naturalmente, não sendo necessária uma reação tão agressiva da polícia”, comentou.

“É irrazoável o lançamento do spray para um grupo pequeno e que não ameaça a ordem pública. Faltaram à polícia e guardas municipais condições de lidar com situações de conflitos como a que envolveu os estudantes. Imagina como serão as abordagens dessas figuras policiais em meio às populações da periferia”, ironizou Galdino.



Redação com Assessoria

Notícias relacionadas

Marcelo Queiroga assina protocolo de intenções de R$ 11 milhões para alta complexidade na saúde de JP

O prefeito Cícero Lucena e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assinaram, na tarde desta sexta-feira (16), um protocolo de intenções entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e…

Mesmo sob novo comando, CMCG é criticada por ‘dormir nas suas atribuições’

A mudança de comando na presidência da Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) em nada alterou o andamento do trabalho legislativo. Pelo menos é essa a percepção do vereador Olímpio Oliveira…