Por pbagora.com.br

Apesar de não ter sido citado nas discussões, o presidente do PSOL na Paraíba, Fabiano Galdino, decidiu colocar mais lenha na polêmica envolvendo as recentes declarações de tucanos e socialista no que diz respeito a aliança no pleito desse ano.

Em release encaminhado à imprensa, Galdinho não só contestou a nota encaminhada pelo presidente do PSDB, Ruy Carneiro, como também disse que não acredita no rompimento entre Cássio e Ricardo, afirmando que este não ocorrerá.

Se colocando como adversário dos dois grupos, tanto de tucanos, quanto de socialista, o dirigente diz que trabalha com o objetivo de mudar o atual cenário, sem Cássio e também sem o socialista. Ele alfineta as gestões, lembrando que os indices tanto no governo tucano,quanto socialista continuaram baixos em vários segmentos.

Atualmente o PSOL não tem nenhuma representação na Paraíba, nem nas Câmaras municipais e nem no Congresso Nacional.

VEJA NA ÍNTEGRA O RELEASE

Presidente do PSOL vê equívocos em 2ª nota de Ruy e diz que fim de aliança de Cássio com Ricardo não ocorrerá

O presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino, disse neste sábado, 8, que não acredita em um racha entre o senador Cássio Cunha Lima e o governador Ricardo Coutinho. “A exploração dessa questão na imprensa e em outras formas de mídias faz parte de um consumo de notícias que não vai dar em nada. Cássio e Ricardo em 2014 fazem parte de uma mesma peça de poder compartilhado”, opinou.

Galdino afirmou ainda que, para o PSOL, essa novela em torno do rompimento ou não da aliança entre as duas lideranças políticas do Estado se desenvolve em capítulos que não sai do mesmo enredo. “Juntos ou separados, eles representam o atual quadro da realidade na Paraíba. Mudar isso é o que nos interessa”, declarou.

Ao comentar a última nota do PSDB produzida pelo deputado e presidente da sigla, Ruy Carneiro, em que cobra do governador Ricardo Coutinho a defesa dos dois governos de Cássio Cunha Lima, o presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino disse que tal postura de Ruy expressa a fragilidade daqueles governos, ao mesmo tempo em que ignora a própria história política da Paraíba, já que, à época em que Cássio era governador, Ricardo Coutinho era integrante da oposição liderada pelo PT.

“De Cássio a Ricardo, sabemos que a Paraíba persiste com desafios econômicos e sociais”, afirmou Galdino, acrescentando que, por exemplo,o analfabetismo no Estado, o status quo na pobreza espelhadas pelos municípios paraibanos compõem uma realidade que os grupos políticos expressos por essas lideranças conhece e a mantém. “É evidente que não queremos salvadores da pátria, mas esses grupos se assemelham pela lentidão com que lidam com o sofrimento do povo paraibano”, finalizou.

 

Márcia Dias


PB Agora

Notícias relacionadas

“É muito cedo”, diz Efraim Filho sbre apoio do DEM a Bolsonaro

Ainda que o presidente do partido, ACM Neto, já tenha descartado qualquer chance de apoio, com direito a cogitar lançar candidatura própria do partido e a conversas com João Dória…

“Vou estar junto com o governador João Azevêdo”, afirma Adriano sobre 2022

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino, afirmou nesta quinta-feira (22) que independente de qualquer cenário político que se vislumbra para às eleições de 2022, a única certeza…