Por pbagora.com.br

Atento à movimentação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o comando do PSDB está decidido a precipitar o lançamento da candidatura do governador José Serra à Presidência. Serra, porém, resiste. Sob o argumento de que, graças à colocação nas pesquisas, ele sairia vitorioso da disputa interna, tucanos chegam a insistir para que Serra enfrente o governador de Minas, Aécio Neves, em prévias partidárias.

Numa reunião com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso alegou que, se não lançar candidato o “quanto antes”, a oposição ficará sem um porta-voz no país. Uma das avaliações é que, se fosse escolhido, o candidato já poderia monopolizar o programa partidário do PSDB. Agora, terá que dividir o tempo com outros governadores.

Ao longo da semana, FHC pediu para que o partido trabalhe para convencer Aécio Neves a abrir mão da disputa. O comando tucano defende ainda que Serra viaje mais pelo Brasil, numa tentativa de ampliar seu capital político fora das regiões Sul e Sudeste.

Hesitação

Serra argumenta, porém, que o eleitorado de São Paulo rejeita a ideia de o governador deixar o Estado num momento de crise para se dedicar à campanha a um ano e sete meses das eleições. Ele teme ser criticado caso estoure um problema em São Paulo durante uma viagem, e manifesta o receio de se transformar, prematuramente, em alvo do PT de São Paulo. “O governador não pode deixar o Estado”, pondera o vice-governador, Alberto Goldman.

Além disso, Serra afirma que não há como se lançar sem o apoio de Aécio. Enquanto ele hesita, o PSDB promete aprovar, dentro de dois meses, o regulamento da prévia do partido. Guerra tenta convencer Serra de que a prévia é benéfica para o partido: “Se o Aécio quiser, teremos prévia. Isso movimenta o PSDB”, diz Guerra. Além disso, os tucanos organizam para o fim de março uma reunião com prefeitos e vereadores do PPS e do DEM. “Vamos apresentar Serra e Aécio para os aliados”, justificou o secretário-geral do PSDB, deputado Rodrigo de Castro. “Pelo bem do partido, os dois têm de viajar pelo país”, diz Guerra.

Ele avalia que seria melhor lançar o candidato no segundo semestre, porque antes a direção do partido precisa costurar a aliança nos Estados. A data de lançamento da candidatura divide os serristas: o deputado federal Luiz Paulo Velloso Lucas (PSDB-ES) acha que, diante da movimentação de Dilma, “não dá mais para esperar 2010”.

Mas o deputado federal Jutahy Jr. (PSDB-BA), discorda. Para ele, a escolha tem de ficar para 2010, pois os candidatos -incluindo Dilma- poderão pagar um preço alto caso antecipem a disputa: “Em 2009, os governadores de São Paulo e Minas têm de administrar seus Estados, e o presidente, o país. Antecipar o processo eleitoral num momento de crise é um desserviço”.

Viagem ao Paraná

José Serra participou ontem do Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), onde cumprimentou visitantes, beijou crianças e posou para fotos. Rodeado de lideranças tucanas do Paraná, ele negou que sua visita seja uma antecipação da campanha: “Eu não vim aqui falar em política eleitoral. Acho que está sendo muito antecipado no Brasil esse assunto todo, inclusive pelo próprio governo federal e pelo próprio PT”.

“A gente tem que, nesse momento, se debruçar para administrar bem, cumprir as responsabilidades e enfrentar a crise. Essa é a minha prioridade neste momento, e não a política eleitoral, de verdade”, afirmou. O governador justificou sua presença na feira paranaense por se tratar de um dos maiores eventos do agronegócio e aproveitou para criticar a política econômica: “O mundo inteiro enfrenta a crise procurando tornar o crédito mais barato, mais acessível.

O Brasil se mantém em direção contrária. Esse é o ponto fraco da política do governo para enfrentar a crise”.


Folha de S. Paulo

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Damião Feliciano antecipa 2022: “O nosso lado é o do governador do Estado”

O deputado federal Damião Feliciano evitou antecipar os objetivos do PDT, sigla da qual faz parte, para as eleições de 2022, quando a Paraíba votará para presidente, senadores, deputados estaduais…

Confiantes: na busca pela vitória, Cícero e Nilvan apostam no termômetro das ruas

Há dois dias da última etapa das Eleições 2020 em João Pessoa, os candidatos Cícero Lucena (PP) e Nilvan Ferreira (MDB) avaliam como positiva a campanha que realizaram e confiam…