Após o fim do prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para a mudança de partido dos políticos que pretendem disputar ás eleições de 2014, um novo cenário foi redesenhado na Câmara Municipal de Campina Grande. Alguns partidos, perderam vereadores e hoje já integram minoria na Casa. Em compensação o novo Pros e o Solidariedade nasceram forte.

Com cinco vereadores, o PROS presidido no Estado pelo deputado Major Fábio, tem agora em Campina Grande a maior bancada legislativa passando a ditar as normas gerais da Casa de Félix Araújo. A bancada majoritária é formada pelos vereadores Alexandre do Sindicato, que preside a legenda na cidade; Hércules Lafite, Cícero Buchada, Ivan Batista e Pimentel Filho.

O PMDB e o PSDB diminuíram sensivelmente e ficaram com apenas dois edis, sendo que no lado tucano a baixa é ainda maior uma vez que Tovar Correia Lima encontra-se licenciado assumindo secretaria municipal, ficando a representação apenas por conta de Bruno Cunha Lima.
O PMDB tinha a maior bancada, com quatro vereadores, e perdeu dois. Saíram da legenda Ivan Batista e Antônio Pimentel Filho. Com a nova composição, apenas Olimpio Oliveira e Metuselá Agra, permaneceram na bancada peemedebista.

Por sua vez, o PTC e PTN perderam os únicos representantes que tinham na Câmara Municipal – Alexandre do Sindicato e Cícero Buchada. Já o PMN, que elegeu três vereadores, perdeu Rodrigo Ramos que se filiou no Solidariedade do deputado Benjamim Maranhão. O PSDB elegeu três vereadores e perdeu agora um: Inácio Falcão que foi para o PTdoB. Dos dois vereadores que elegeu, o PSC ficou sem Hércules Lafite. O presidente da Casa Nelson Gomes ensaiou a possibilidade de ir para o Pros, mas permaneceu no PRP.

A composição poderá ser alterada até o dia 20, quando as atas do PROS e do SDD com os membros fundadores serão fechadas.
A troca-troca de partido não provocou alterações na bancada que dá sustentação política ao prefeito Romero Rodrigues. O prefeito tem maioria na Casa, e ainda conseguiu ampliar a bancada governista. Por sua vez, a bancada da oposição, composta por vereadores como Olímpio Oliveira, Metuselá Agra, Napoleão Maracajá entre outros, foi reduzida mas garante que tem forças para equilibrar os debates na Casa.

Com a nova composição, o PMDB ficou com dois vereadores – Olimpio Oliveira e Metuselá Agra; o PRP (02) – Nelson Gomes Filho e Jóia Germano; o PMN (02) – Galego do Leite e Sargento Régis; o PSDB (02) – Bruno Cunha Lima e Tovar Correia Lima (licenciado); o DEM (02) – Saulo Noronha e Vaninho Aragão; o PRB (02) – Lula Cabral e Marinaldo Cardoso; o PTdoB (01) – Inácio Falcão; o PCdoB (01) – Napoleão Maracajá; o PSB (02) – Murillo Galdino e Ivonete Ludgério; o PPS (01) – Miguel Rodrigues; o PSC (01) – Orlandino Farias; e o SDD (01) – Rodrigo Ramos.

Severino Lopes

PBAgora

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cida tacha de “infeliz” falas de presidente da ALPB sobre RC

A deputada estadual Cida Ramos, PSB, classificou como infeliz, durante entrevista essa semana, a fala do presidente da Casa, Adriano Galdino (PSB), que acusou o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) de…

Áudio vazado põe em xeque declarações de Jackson Macêdo sobre apoio irrestrito ao governo Azevêdo

O presidente do PT na Paraíba, Jackson Macedo, já havia declarado o seu posicionamento com relação a crise instalada no PSB do estado. Aliado do projeto, Jackson disse que continuava…