Filhos de mulheres vítimas de violência doméstica terão direito à matrícula
imediata em escolas próximas ao novo domicílio, nos casos de necessidade de
afastamento do lar. A medida está prevista no projeto (PL 594013)
apresentado pelo deputado Major Fábio (Pros-PB), aprovado na Comissão de
Educação da Câmara dos Deputados.

 

A proposta altera a Lei Maria da Penha para dar poderes ao juiz, que poderá
determinar a matrícula dos dependentes da vítima de violência, depois de
decretado o afastamento da mulher e dos filhos do lar, como medida
protetiva de urgência. Segundo o deputado Major Fábio, a ideia do projeto é
facilitar a vida das mulheres que têm coragem de denunciar a violência
sofrida em casa.

 

-Essa lei vem abraçar essas pessoas que já são vítimas, que passam por
tantos transtornos. Então, abraça a família e faz com que a família possa
evitar mais esse constrangimento de chegar a um lugar e não ser abraçada
por uma nova escola, defendeu o Major Fábio.

 

Para Juliana Alexandre Cardoso, Conselheira Tutelar do Conselho Tutelar de
Sobradinho no Distrito Federal, o projeto é bem-vindo porque a vida escolar
também é afetada pela violência doméstica. "A gente percebe sim que
atrapalha a vida escolar da criança. Com certeza este projeto vai ajudar no
desenvolvimento escolar da criança e ela não ser tão prejudicada", afirmou.

 

O projeto que garante a matrícula imediata dos filhos das mulheres vítimas
de violência quando há necessidade de mudança de endereço ainda será

 

 

*Ascom com Rádio Câmara*

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Processos no TCU vão apurar peripécias da família Bolsonaro

O jornal O Globo de ontem (18), trouxe que chegaram ao gabinete do ministro paraibano no Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo dois problemas em potencial para…

Site do PSDB nacional é hackeado; página inicial tem a foto de Lula e Dilma

Quem tentou entrar no site oficial do PSDB nacional na noite deste domingo (18/8) encontrou um aviso de “em manutenção”. Isso porque, mais cedo, alguém invadiu o portal e publicou…