Por pbagora.com.br

Visando aumentar o leque de direitos dos consumidores de instituições de ensino privadas, a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou por unanimidade o projeto de lei 1741/2020, de autoria do deputado estadual Wilson Filho (PTB), que permite que alunos e pais de estudantes rescindam contratos com escolas e universidades sem a incidência de multas e juros.

De acordo com o autor do projeto de lei, que é presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos do Consumidor, a ideia é garantir que os consumidores que se sentirem prejudicados pelos novos métodos de ensino, que não estavam previstos no contrato original, não sejam obrigados a pagar por um serviço que não satisfaz suas necessidades.

“A transferência de conhecimento tem que ser a prioridade e muita gente tem percebido que o seu filho, ou a própria pessoa, não está conseguindo se adaptar ao modelo a distância, não está aprendendo, a internet não está pegando, e aí o consumidor poderá rescindir o contrato caso perceba, após reflexão, que a prestação do serviço não vem tendo a qualidade esperada”, argumentou.

Outra preocupação do deputado é com relação à validade dos períodos e semestres realizados por ensino a distância para cursos homologados como presenciais no Ministério da Educação, já que vigora uma medida provisória do governo federal que estabelece que aulas a distância não serão computadas.

O projeto de lei aprovado na ALPB estabelece multa de 30 a 50 Unidades Fiscais de Referência do Estado da Paraíba (UFR-PB) a cada descumprimento, e aguarda sanção do governador João Azevêdo (Cidadania).

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Efraim Filho destina quase R$1 milhão para construção de matadouro na PB

O prefeito de São Bento, Jarques Lúcio da Silva II, assinou, Na última quarta-feira (13), um contrato de repasse com a Caixa Econômica Federal (CEF), no valor de R$ 995.000,00…

Veneziano critica fechamento de agências do BB e destaca prejuízos para a população em plena pandemia

O senador Veneziano Vital do Rego (MDB-PB) criticou o anúncio feito pelo Governo Federal, por meio do Banco do Brasil, na última segunda-feira (11/01), informando ao mercado que a instituição…