Após declarações do ex-ministro Sergio Moro, durante o anúncio de sua demissão nesta sexta-feira (24), o presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), Fábio George Cruz da Nóbregam, criticou a interferência do presidente Jair Bolsonaro e defendeu uma investigação de crime de responsabilidade.

Para o presidente da ANPR, Fábio George Cruz da Nóbrega que também é paraibano, as declarações do ex-ministro “sinalizam a ocorrência de crime de falsidade ideológica de responsabilidade do presidente da República”.

“Muito graves as declarações apresentadas pelo agora ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. Na assinatura de ato inexistente de exoneração a pedido do diretor-geral da PF, bem como de crime de responsabilidade, na tentativa de interferência na regularidade de investigações. Ambas as ocorrências precisam ser devidamente apuradas”, afirma Nóbrega, em nota.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cícero Lucena revela prazo para confirmar candidatura à PMJP: “Estou refletindo”

O ex-governador Cícero Lucena, recentemente filiado ao Progressistas, declarou nesta quinta-feira (4), durante entrevista à rádio Arapuan FM, que nos próximos 15 dias deve decidir e anunciar se disputará ou…

Manoel Jr: “Solidariedade ainda não decidiu apoio em João Pessoa”

O vice-prefeito de João Pessoa e presidente estadual do Solidariedade, Manoel Junior, negou nesta quinta-feira (4) que o partido tenha assumido qualquer posição de apoio a um dos pré-candidatos à…