Apesar de ter anunciado que a notícia crime que tramita no Tribunal de Justiça da Paraíba, pela acusação de suposto abuso sexual, contra uma professora, na cidade de Esperança, havia sido arquivada, o processo que tem como alvo o deputado estadual Arnaldo Monteiro, do PSC da Paraíba, ainda consta como “ativo” na página eletrônica de tramitação processual da justiça do Estado e aguarda desfecho.

A última movimentação foi registrada no mês de maio de 2017, sendo que o processo tramita na justiça desde outubro de 2016.

Segundo o empresário Ônio Emannuel Lyra, autor da denúncia, juntamente com a namorada, a constatação comprova que o parlamentar paraibano mentiu. “Ele mentiu para a imprensa e para a Paraíba. Eis quem é o verdadeiro desqualificado moral entre nós dois”, disse, em contato com a reportagem do PB Agora.

Depois de ter confirmada a informação de que o processo continuava ativo, o empresário disse que solicitou à Assembleia Legislativa da Paraíba informações sobre a tramitação da denúncia por suposto assédio sexual protocolada na Comissão de Ética da Casa, mas foi surpreendido com a informação de que o processo “sumiu”, sem nenhuma explicação. Na Comissão da Mulher, onde a representação contra o parlamentar novamente foi protocolado, o processo também desapareceu.

O empresário então protocolou, nesta quinta-feira (22), um requerimento solicitando esclarecimento do porquê de uma denúncia, que considera grave, contra um representante da população da Paraíba, ter sido ‘abafada’ sem que nem os autores, nem a população que elegeu o político tomassem conhecimento.

O deputado Arnaldo Monteiro, do PSC, não foi encontrado para comentar o assunto. A Assembleia está de recesso parlamentar, e os números de telefones do parlamentar se encontravam fora de área ou desligado

LEIA TAMBÉM

Empresário denuncia deputado da ALPB por assédio sexual

Deputado acusado de assédio revida

Professora disse que vai ratificar acusação contra o deputado Arnaldo Monteiro

IMPUNIDADE? Sem código de ética aprovado, denúncia contra deputado por assédio pode encalhar na ALPB

Arnaldo Monteiro é denunciado ao PSC Nacional por assédio sexual contra professora do município de Esperança

ENTENDA O CASO

O deputado Arnaldo Monteiro foi acusado de assédio sexual contra uma professora da rede municipal de ensino, do município de Esperança, ainda no ano passado. O caso foi parar na Polícia. O namorada da autora da denúncia protocolou várias denúncias contra o parlamentar paraibano, mas nenhuma surtiu efeito, até agora. 

Segundo o relato, Arnaldo, ao saber que o empresário namorava a servidora, deu início a investidas contra a professora, passando a visitar a escola onde ela trabalhava com o pretexto de que estava vistoriando as obras no educandário. Lá, ainda segundo o empresário, além de conversar com a professora a tocando, o deputado também tentava dar beijos e agarrá-la.

O empresário também relatou que o deputado enviou mensagens privadas no bate papo do facebook da professora, que comprovariam o assédio, tanto moral quanto sexual e que imprimiu todas as conversas para provar o crime.

Para o empresário, o deputado tentou se aproveitar da fragilidade de alguém que sobrevive apenas com um salário mínimo para conseguir uma “escrava sexual”.

OUTRO LADO

Logo após a repercussão do caso, o deputado estadual Arnaldo Monteiro (PSC) deu entrada em uma ação penal de calunia, injúria, difamação contra o dono do Cartório de Registro Civil de Esperança Ônio Emmanuel Lyra. 

Arnaldo Monteiro informou que Ônio Emmanuel Lyra é conhecido no município pelas confusões que ‘arranja’ e que várias pessoas possuem ações contra ele. Para se ter ideia o prefeito, procurador, chefe de gabinete e até mesmo médico e enfermeiro do Samu tem ação contra ele por calunia, injúria, difamação, desacato e ameaça.

De acordo com o deputado, o dono do cartório invadiu a prefeitura e agrediu o chefe de Gabinete do prefeito, Antônio Monteiro, que registrou ocorrência contra ele. “Toda a cidade o conhece por uma pessoa desqualificada moralmente”, disse.

O parlamentar confirmou que foi até a escola municipal para inspecionar as obras ao lado do prefeito Anderson Monteiro, mas que em momento algum teve contato com a professora apontada na denúncia como vítima de assédio. “Fui surpreendido com essa história, bem como as pessoas que trabalham na escola”, disse à época.

CONFIRA OS DOCUMENTOS

 

Página do processo ativo no TJPB

 


Requerimento solicitandos esclarecimentos à ALPB

 

Representação na Comissão da Mulher da ALPB (também sumiu)

 

 RELEMBRE A DENÚNCIA




Márcia Dias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Curtas & Curtidas aborda Tião Gomes, FHC, Bolsonaro, quarentena e fake news

Tião Gomes apoia artistas, FHC critica Bolsonaro, CG não respeita a quarentena e Gabinete do ódio tenta influenciar o PL das Fake News no Twitter  Grande mecenas, Tião Gomes declara…

Efraim Filho se posiciona contra prorrogação de mandatos: “Consequências desastrosas”

“Só vejo uma possibilidade de cancelamento se realmente chegarmos em outubro sem conseguir ter condições de retornar às ruas e ao convívio normal”.A análise é do deputado federal Efraim Filho…