O presidente do Equador, Rafael Correa, determinou, neste sábado, a expulsão em até 48 horas de um adido da embaixada dos Estados Unidos, por ter tentado condicionar uma ajuda econômica à polícia local a que seu país pudesse escolher o comandante de uma unidade contra contrabando.

“Senhor chanceler, ouça-me! Dou 48 horas a este senhor Armando Astorga para que pegue sua mala e deixe o país! Aqui, não vamos aceitar que ninguém nos trate como colônia”, declarou Correa, em seu programa semanal de rádio e TV.

O presidente acusou o funcionário de tentar subjugar a polícia equatoriana, por meio da ajuda de US$ 340 mil, e leu uma carta do representante americano, na qual ele anunciava o fim da colaboração dos EUA com uma unidade dedicada à luta anticontrabando.

“Nessa unidade de operações, que recebe financiamento dos Estados Unidos (…) eles classificam o comandante da unidade. Eu dei ordem ao comandante para acabar com isso (…)”, frisou Correa.

“Senhor Astorga, fique com seu dinheiro sujo, não precisamos dele, aqui temos soberania e dignidade. Fique com seu US$ 340 mil! Idiota, insolente!”, atacou.
 

Terra

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Líder da oposição na ALPB rejeita qualquer tipo de composição com RC ou com o PSB: “Politicamente não”

Apesar do racha na base governista com o anúncio da desfiliação do governador João Azevêdo dos quadros do PSB, o líder da oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba, Raniery Paulino…

Aliados para 2020, PTB e Podemos devem disputar internamente filiação de João

Apesar de aliados para o pleito de 2020, PTB e Podemos ainda devem travar uma disputa nos bastidores que é a batalha para convencer o governador João Azevêdo (sem partido)…