Após quatro dias foragido, o ex-ministro dos Transportes e presidente do Partido da República (PR) Antonio Carlos Rodrigues se entregou nesta terça-feira à Polícia Federal em Brasília.

 

 

Rodrigues era procurado desde o dia 24, quando a Justiça determinou sua prisão pelos crimes de corrupção, extorsão, participação em organização criminosa e falsidade ideológica.

 

O presidente do PR é investigado na mesma ação que resultou na prisão dos ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha – ambos do PR.

 

A prisão do ex-senador tem relação com o depoimento prestado por Ricardo Saud, da JBS, à PF, no qual ele diz ter feito pagamentos ao PR em troca de apoio do partido à chapa da então presidente Dilma Rousseff, em 2014.

 

Segundo o empresário, o contato era feito por meio do senador e o repasse para o partido, segundo Saud, chegou a 36 milhões de reais. O pagamento teria sido feito por meio de doação oficial fraudada, uso de notas frias e propina paga em espécie. Saud afirmou na delação que se encontrou com Antonio Carlos Rodrigues “não menos que dez vezes”.

 

Veja

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Para jornal francês, Congresso é casa de “300 ladrões com título de doutor”

Em longo artigo sobre a composição e a atuação do Congresso Nacional, o jornal francês Le Monde Diplomatique traça um perfil pouco edificante da maior casa do poder legislativo brasileiro.…

Licença médica de Corujinha pode colocar oposição a Cartaxo na presidência da CMJP

A presidência da Câmara de João Pessoa pode recair, pela primeira vez nesta legislatura, nas mãos da bancada que faz oposição ao prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV). É…