O senador Tião Viana (PT-AC), candidato à presidência do Senado contra José Sarney (PMDB-AP), voltou a afirmar neste domingo contar com o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apesar de oficialmente o Palácio do Planalto manter a postura de neutralidade diante do embate entre PT e PMDB, partidos da base aliada, pelo mesmo cargo.

“Acho que se ele (Lula) fosse senador, votaria em mim. Não sendo, optou pela neutralidade”, comentou Viana após reunião no Congresso com parlamentares que apóiam sua candidatura.

Contando com 43 votos, dois acima do mínimo necessário para ser eleito, o petista afirmou que, se vencer a disputa pelo controle da Mesa Diretora do Senado, buscará pacificar os ânimos dos parlamentares e unificar as posições das legendas por um projeto em comum.

“Não haverá qualquer atitude do vencedor a não ser a de pacificação da Casa. Os partidos têm muita maturidade, superam rapidamente. Não vejo a possibilidade de ressacas demoradas do ponto de vista político”, minimizou Tião Viana.

Redação Terra

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: a metáfora de “RC, João e a guerra em terra Tabajara”

A guerra foi deflagrada. Montgomery decidiu firmar o desembarque no Sanhauá de forma rápida e precisa, a fim de evitar maiores movimentos do exército oposicionista comandado pelo general Hideki Tojo.…

Dois extremos: vereador da Capital pode trocar PCdoB por PSL

Eleito pelo Partido Comunista Brasileiro nas eleições de 2016 para um mandato de quatro anos como vereador de João Pessoa, o secretário do Procon de João Pessoa, Helton Renê, pode…