Cresce as movimentações nos bastidores da política de Bayeux, importante colégio eleitoral paraibano, com vistas às eleições de 2014. O Portal PB Agora tomou conhecimento de que o prefeito Expedito Pereira (PSB) tenta de goela abaixo fazer com que os seus vereadores aceitem a indicação da sua esposa Maria Cristina na corrida por uma cadeira na Assembleia Legislativa.

 

“Aqui o poder é na caneta, ele quer que nós venhamos a apoiar a sua esposa sem nenhum tipo de compensação! Temos os nossos compromissos assumidos e isso precisa ser respeitado”, queixou-se um vereador da base que não quis se identificar com medo de sofrer retaliações.

 

Também chegou ao conhecimento do PB Agora que Expedito, que sempre conquistou a suplência na Casa de Epitácio Pessoa, tem como questão de honra eleger a sua esposa, nem que com isso provoque um ‘racha’ na sua base aliada.

 

“Não é por que os apoiamos na Casa que tenhamos que apoiar quem quer que seja! Expedito precisa deixar de agir como trator, passando por cima de todo mundo! Devemos gratidão a ele e a quem nos ajudou na campanha!”, desabafou o parlamentar.

 

Informações dão conta que o assedio por parte de auxiliares de Expedito aos cabos eleitorais e lideranças com voto, aumentou nos últimos dias e que o clima de campanha impera no município em prol da candidatura de Maria Cristina: “Aqui não existe gestão! O que existe é essa campanha da primeira dama!”, lamentou o interlocutor.

 

É válido lembrar que o assunto foi abordado pelo PB Agora no final de agosto e Expedito defendeu a atuação da sua esposa na ação social do município, afirmando que a participação de Cristina Pereira, embora jamais tenha reclamado publicidade pessoal, conforme acentua o prefeito de Bayeux, tem oferecido grandes oportunidades de assistência social à população local, sobretudo no que tange às camadas mais carentes, sem que o bônus de todo esse trabalho venha a implicar, obrigatoriamente, a construção de quadros de disputa de liderança política, na cidade.

 

Enquanto Expedito arregaça as mangas para tentar emplacar a sua esposa na Casa de Epitácio Pessoa, o desmantelo administrativo é completo, em face da completa inoperância da gestão municipal e a mais nova bola fora de Pereira diz respeito a uma medida que prejudica e muito a população da Terra dos ‘Caranguejos: a suspensão por parte do atendimento médico em Bayeux no período noturno.

 

O PB Agora soube que a medida provocou grande revolta popular e que pode culminar com a saída do secretário de Saúde Fernando Ramalho do cargo. O anuncio pode provocar mais uma crise política na base aliada, uma vez que Ramalho que é médico, assim como Expedito, não aceitou a medida e também pode anunciar o rompimento do PTB da gestão, pois comanda a legenda em Bayeux.Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o município de Bayeux é o 4º maior colégio eleitoral da Paraíba e abriga mais de 70 mil eleitores. Que serão muito cortejados em 2014.

 

Enquanto Expedito Pereira só pensa em política, Bayeux continua a sofrer com os mesmos problemas de sempre: falta de saúde, infraestrutura e dignidade para o seu povo.

 

O PB Agora permanece atento aos bastidores da politica paraibana.

 

Henrique Lima

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Lideranças do PSB pregam diálogo para estancar crise no partido

Lideranças do PSB tentam estancar crise do partido na Paraíba e evitar dissabores nas urnas nas eleições 2020. O líder do governo estadual na Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Barbosa (PSB),…

Rosas tem maioria, mas não vai recorrer de intervenção: “Fiquem com o PSB”

O presidente do PSB na Paraíba, Edvaldo Rosas, disse que embora tenha apoio da maioria dos diretorianos, além de deputados, prefeitos e vereadores para continuar na presidência, não vai recorrer…