Após nutrir uma amizade longa data com o prefeito de Bayeux Expedito Pereira (PSB), o médico renomado e ex-secretário Saúde, o doutor Fernando Ramalho que vem o ser o presidente do diretório do PTB em Bayeux foi a mais nova vítima da ‘guilhotina socialista’.

 

Informações obtidas com exclusividade pela reportagem do PB Agora,dão conta que o aliado enfrentava atualmente um verdadeiro processo de fritura e isolamento político no staff político capitaneado pelo prefeito Expedito Pereira e que a demissão já era dada como certa por parte dos aliados do socialista, que como verdadeiros ‘urubus’ torceram pela exoneração para tentar ampliar seus espaços no combalido governo Expedito Pereira IV que amarga forte impopularidade.

 

Ainda não se sabe a motivação da suposta retaliação de Expedito para com o aliado de primeira hora, já que os dois nutriram amizade inclusive o doutor Fernando Ramalho era tido pelo grupo de Expedito como um verdadeiro ‘soldado’ na apresentação das propostas de Expedito junto às comunidades carentes no município.

""

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“A ingratidão de Expedito com o doutor Fernando Ramalho foi muito grande, foi igual a do Botafogo com o prefeito Luciano Cartaxo!”, lamentou um aliado de Expedito que pediu anonimato ao PB Agora.

 

Além de amigo pessoal de Expedito Pereira, o doutor Fernando Ramalho também foi fundamental para a vitória do socialista na disputa pelo Governo do Estado. Em 2012, o médico entrou em ação e acabou sendo um dos principais responsáveis pela articulação política que uniu diversos partidos em torno da candidatura vitoriosa de Expedito Pereira, tendo recebido como prêmio uma secretaria bastante desejada pela base aliada.

 

""“Fernando Ramalho foi um verdadeiro bode expiatório nos problemas enfrentados na saúde de Bayeux, a culpa não foi dele e sim do prefeito que não tem organização”, desabafou o correligionário

 

Em onze meses de gestão, cinco secretários já foram vítimas da ‘guilhotina’ socialista. Confira quem já caiu na gestão marcada pela inabilidade política:

 

Kelly Dias (ex- secretária adjunta saúde)

 

Zezito da Banca (ex- secretário de finanças)

 

André Ribeiro (ex-secretário de educação)

 

Maria do Livramento (ex-secretária infraestrutura)

 

Fernando Ramalho (ex-secretário de Saúde).

Novas ‘guilhotinadas’ são aguardadas para os próximos dias, em face do caos administrativo encontrado em Bayeux, onde,  nunca o culpado é o prefeito e sempre a ‘bomba’, que na maioria das vezes se resulta numa demissão, acaba caindo nos braços dos mais fracos.

 

Henrique Lima

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Já são três os secretários de Romero que miram disputa pela PMCG

A disputa eleitoral da Prefeitura Municipal de Campina Grande em 2020 deve dividir a base do prefeito Romero Rodrigues (PSD). Pelo menos três secretários de Romero garantem que são pré…

Ex-presidente do PSL/SE acusa Julian de integrar complô na sigla e trair Bolsonaro

Em entrevista bombástica concedida ao programa Arapuan Verdade, na tarde desta terça-feira (22), o ex-presidente do PSL de Sergipe, João Tarantela acusou o deputado federal paraibano, Julian Lemos (PSL) de…