Por pbagora.com.br

O prefeito afastado de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes, pagou fiança de R$ 522,5 mil estipulada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello.

No entanto, ainda não está em liberdade pois aguarda a emissão do alvará de soltura.

O advogado de defesa do gestor, Fernando Erick de Carvalho, declarou a demora está ligada à pandemia, pois o supremo está funcionando em regime de plantão.

O gestor está preso desde 21 de dezembro do ano passado, quando foi deflagrada a Operação Pés de Barro, que apura pagamentos de propina decorrentes do superfaturamento das obras de construção de um sistema adutor entre São José do Rio do Peixe a Uiraúna, no Sertão da Paraíba.

PB Agora

Notícias relacionadas

MPF aponta que superfaturamento do caso Desk teria ido do governo Maranhão ao de RC

Após o Ministério Público Federal ter denunciado nessa quinta-feira (6), os ex-secretários de Educação da Paraíba, Francisco Sales Gaudêncio e Afonso Celso Caldeira Scocuglia por suposto envolvimento em esquema de…

Opinião: Na Paraíba, donos de partidos não permitem o surgimento de novas lideranças

Os partidos no Brasil se transformaram em patrimônios de alguns, de famílias e de velhas raposas políticas. Na Paraíba, nem se fala… Aqui, quase todas as legendas pertencem a alguém. …