Por pbagora.com.br

O prefeito afastado de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes, pagou fiança de R$ 522,5 mil estipulada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello.

No entanto, ainda não está em liberdade pois aguarda a emissão do alvará de soltura.

O advogado de defesa do gestor, Fernando Erick de Carvalho, declarou a demora está ligada à pandemia, pois o supremo está funcionando em regime de plantão.

O gestor está preso desde 21 de dezembro do ano passado, quando foi deflagrada a Operação Pés de Barro, que apura pagamentos de propina decorrentes do superfaturamento das obras de construção de um sistema adutor entre São José do Rio do Peixe a Uiraúna, no Sertão da Paraíba.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PSOL dá o tom da pré-candidatura à PMJP: “Contras as oligarquias”

“Optamos por lançar uma proposta mais pertinente para quem defende interesses reais da população, e não interesses das oligarquias”, a declaração é do pré-candidato a prefeito de João Pessoa pelo…

Ana Cláudia reúne pré-candidatos do Podemos para tratar de ideias para CG

A pré-candidata à Prefeitura de Campina Grande, Ana Cláudia, reuniu neste final de semana os pré-candidatos do Podemos para tratar sobre assuntos relacionados à campanha eleitoral que se aproxima e…