Por pbagora.com.br

Após operação Xeque-Mate, que cumpriu 11 mandados de prisão preventiva, 15 sequestros de imóveis e 36 de mandados busca e apreensão em Cabedelo, o prefeito interino, Vitor Hugo, determinou a extinção de cerca de 30 cargos de provimento em comissão intitulados “AP-1”, que previam salários de R$ 10 mil.

A assessoria da Prefeitura, alega que a medida vai proporcionar uma economia de cerca de R$ 3,6 milhões por ano aos cofres públicos municipais.

Os cargos extintios foram os de Assessor Especial de Administração, Assessor Especial Contábil, Assessor de Coordenação Política, Assessor Especial I e Assessor Geral do Centro de Processamento de Dados.

Apesar da extinsão dos cargos, a Justiça determinou o afastamento cautelar do cargo de 85 servidores públicos e não de 30 como até o momento ocorreu no município.

Operação Xeque-Mate

A operação foi deflagrada no mês de abril pela Polícia Federal e Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba com o objetivo de desarticular um esquema de corrupção na administração pública da cidade.

O prefeito Leto Viana e quatro vereadores continuam presos preventivamente, em regime fechado. Apenas um parlamentar, Júnior Datele, foi solto e cumpre medidas cautelares. Outros cinco vereadores afastados desde o dia da operação, 3 de abril, ainda continuam longe das suas funções.

PB Agora

Notícias relacionadas

Comissão da ALPB aprova criação do Integra Educação Paraíba

A Comissão de Educação, Cultura e Desportos, da Assembleia Legislativa da Paraíba, aprovou nesta quinta-feira (13), a Medida Provisória (MP) 297/2021, do Governo do Estado, criando o Regime de Colaboração…

Detran-PB amplia atendimento para candidatos à CNH

A partir de segunda-feira (17), o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB) vai estender o horário de atendimento para o setor de Habilitação, exclusivamente na sede de Mangabeira. A decisão foi…