Por pbagora.com.br

Seguindo o que fez nas eleições de 2016, o atual pré-candidato do PSL a prefeito de Campina Grande o empresário e presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL-CG) Artur Bolinha comentou que caso não chegue ao segundo turno das eleições deste ano, não apoiará nenhum candidato no segundo turno.

Tal  posição se a assemelha a tomada nas eleições de 2016, quando não conseguiu chegar no segundo turno e liberou seu filiados á época do PPS, hoje Cidadania para votar em quem quisesse.

“Como eu tenho dito já há algum tempo, eu faço oposição a um modelo de gestão que atua na cidade a décadas. Campina vive um momento de muita dificuldade e se porventura não viermos a chegar no segundo turno a posição minha é de absoluta isenção”, disse Bolinha.

Em 2012 Artur Bolinha disputou pela primeira vez uma eleição. Foi candidato a prefeito de Campina Grande e obteve 6.177 votos. Nas eleições de 2016, ele se candidatou mais uma vez ao cargo, tendo a sua candidatura desacreditada no início, conseguiu se destacar no decorrer da disputa. Mantendo o discurso pela renovação política e cobrando mais compromisso com a gestão pública, Bolinha conquistou quase 16 mil votos, ficando à frente do candidato do PSB, Adriano Galdino, ex-presidente da ALPB.

 

Redação

Notícias relacionadas

MPF aponta que superfaturamento do caso Desk teria ido do governo Maranhão ao de RC

Após o Ministério Público Federal ter denunciado nessa quinta-feira (6), os ex-secretários de Educação da Paraíba, Francisco Sales Gaudêncio e Afonso Celso Caldeira Scocuglia por suposto envolvimento em esquema de…

Efraim Filho diz que reforma tributária é a principal agenda econômica do Brasil em 2021

O deputado federal Efraim Filho, que é líder do DEM na Câmara, em Brasília, afirmou que o principal tema da agenda econômica do país neste ano de 2021 é a…