Por pbagora.com.br
 
 

A pesar de possivelmente serem punidos nas esferas cível e criminal, os políticos que disputam as eleições deste ano e receberam o auxílio emergencial de maneira irregular, não serão punidos na esfera eleitoral.

Apesar da ausência de punição no âmbito eleitoral, o procurador Rodolfo Alves fez um alerta aos eleitores e declarou que eles se atentem para o fato antes de escolherem os candidatos em que votarão.

“Esse é mais um elemento para que o eleitor possa avaliar especificamente a situação de cada um dos candidatos que se apresentam, mas não tem esse reflexo porque são circunstâncias ou fatos independentes” declarou em entrevista à Rádio Correio.

Pelo menos 70 candidatos paraibanos contam na lista dos recebimentos irregulares do beneficio federal concedido para aqueles que ficaram prejudicados com a crise causada pela covid-19.

PB Agora

 
 
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Consult: Cícero aparece com 49,2% e Nilvan com 40,9%; indecisos somam 1,7%

O Instituto Consult divulgou nesta terça-feira (24), durante o programa de Rádio “Arapuan Verdade”, a pesquisa de intenção de voto para o 2º turno das eleições municipais em João Pessoa.…

Ministra nega pedido para que Márcia Lucena retire tornozeleira eletrônica

O pedido realizado pela defesa da prefeita de Conde, Márcia Lucena (PSB) para que ela retirasse a tornozeleira eletrônica, foi negado pela ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça…