A declaração é forte e partiu do deputado federal e candidato ao Senado, Luiz Couto, do Partido dos Trabalhadores na Paraíba (PT-PB). A afirmação veio quando, em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta terça-feira (18), Couto foi indagado sobre o tema, sobretudo após o ataque ao presídio de segurança máxima de João Pessoa, o PB1.

Na análise do petista, o crime organizado já foi um 'poder paralelo', no entanto, atualmente, o crime está empregnado na política brasileira e, segundo o parlamentar, isso também inclui a política paraibana. "É preciso retirar o crime organizado da política paraibana e da política brasileira. O seja, eles perceberam que ali há um espaço onde eles se escondem para continuarem fazendo a ação", argumentou o candidato ao Senado.

Luiz Couto denunciou que existem organizações criminosas financiando inclusive campanhas de parlamentares e de pessoas que estão envolvidas na política. "A minha proposta é de que nós possamos trabalhar na perspectiva de fazer uma profunda reforma para tirá-los da atividade política", explicou.

O deputado federal pelo PT defende que atitudes enérgicas são necessárias para evitar que o país seja dominado pelo crime. "Ou o Brasil toma conta para enfrentar essa situação, ou vai se tornar uma antiga Colômbia, que já enfrentou a situação de crime organizado. No Brasil, você tem de um lado o narcotráfico, do outro lado os milicianos atuando no sentido de dar proteção pra quem obedecer e ganhando dinheiro as custas do sofrimento e da morte de muita gente", concluiu.

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Não vejo a hora do Lula morrer”, afirma deputado no Twitter

O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) postou — e apagou logo depois — mensagem em sua conta oficial no Twitter na qual desejava a morte do ex-presidente Luiz Inácio Lula…

Romero diz que não teve como controlar vaias à Lígia e pede desculpas

Diplomacia. Um dos momentos constrangedor durante a solenidade de entrega do Complexo Habitacional Aluízio Campos em Campina Grande, foi a vaia que o “público” deu na vice governadora Lígia Feliciano…