O Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba, em sessão realizada nesta quarta-feira (13), arquivou, por unanimidade, Inquérito Policial e Notícia Crime contra os deputados estaduais Antônio Mineral e Paulo Rogério de Souza Rego, respectivamente. O arquivamento ocorreu por falta de provas, em acolhimento ao pedido do Ministério Público.

 

O Inquérito Policial nº 0001561-75.2017.815.0000 diz respeito à investigação de possível prática do delito de disparo de arma de fogo e dano cometido, em tese, pelo Deputado Antônio Mineral. De acordo com o relatório, o disparo teria atingido o portão de uma residência. Segundo consta no caderno inquisitorial, os fatos têm pertinência a disputas eleitorais. O caso foi arquivado em face da inexistência de provas sobre autoria delitiva.

 

Por falta de justa causa e por não existirem provas de responsabilidade, foi arquivada a Notícia Crime nº 0001464-12.2016.815.0000, cujo noticiado é o Deputado Paulo Rogério de Souza Rego. A investigação objetivava apurar possível prática de discriminação religiosa e ética, em um suposto desentendimento ente o deputado e uma advogada, que se sentiu ofendida com possíveis comentários discriminatórios do parlamentar.

 

 

Redação

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Novo prefeito de Patos diz que vai diminuir distância com o legislativo e que não vai ‘abrir caixa preta’ da gestão anterior

O comando da gestão municipal da morada do sol – Patos, Sertão Paraibano – voltou às mãos de um profissional da saúde. Depois do médico Dinaldinho Wanderley (PSDB), que está…

Deputado explica motivos de críticas e nega afastamento político do prefeito Romero Rodrigues

Após formular críticas a gestão municipal por meio das redes sociais, o deputado federal Julian Lemos (PSL) afirmou que continua apoiando a administração do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues…