Requerimento foi solicitado pelo deputado Lindolfo Pires e aprovado na
manhã dessa quarta-feira, 30

 

O município de Piancó, localizado a 395 quilômetros de João Pessoa, sediará
no próximo dia 8 de novembro uma sessão itinerante da Assembleia
Legislativa da Paraíba em comemoração aos seus 265 anos de emancipação
política.

A solicitação da sessão especial naquele município sertanejo foi feita pelo
deputado Lindolfo Pires (DEM) e aprovada na sessão ordinária realizada na
manhã dessa quarta-feira, 30 de outubro.

“Nós não poderíamos deixar de solicitar uma sessão itinerante para
homenagear um município tão importante quanto Piancó, responsável pelo
desenvolvimento social, econômico e cultural da região do Sertão da
Paraíba”, lembrou o deputado.

Lindolfo Pires informou ainda que a sessão itinerante também servirá para
que a população de Piancó possa levar as suas reivindicações aos deputados.
“estaremos lá para conversar com a população e ver conhecer de perto as
carências daquela população sertaneja”, finalizou o deputado.

Fundado em 8 de novembro de 1748, o município de Piancó está localizado no
Sertão e faz divisas com os municípios de Aguiar, Coremas, Emas, Igaracy,
Itaporanga, Olho d’Água e Santana dos Garrotes. Prefeito Francisco Sales de
Lima Lacerda (DEM). O município tem uma área de 564.730 km² 2, tem uma
população de 15.465 habitantes, segundo dados do IBGE/20103.

Piancó(PB)

Por Antonio Cabral Alves de Souza (Historiador)

Piancó, município no estado da Paraíba(Brasil), localizado na microrregião
de Piancó. De acordo com o IBGE(Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística), no ano de 2006 sua população era estimada em 14.068
habitantes e sua área territorial é de 565 km². Piancó destaca-se por ser o
marco da Coluna Prestes e o lugar onde tombou o corpo do maior
bandeirante/sertanista de todos os tempos; Domingos Jorge Velho, o paulista
que desafiou os limites dos perigosos e selvagens sertões sulamericanos
muito antes de haver as marchas para o oeste em qualquer uma das Américas.

Consta que no ano de 1748, precisamente no dia 8 de novembro, Francisco
Dias D’Ávila, senhor da casa da Torre e proprietário a mais de três décadas
de uma fazenda de gado existente na referida localidade, denominada Piancó,
cedeu boa parte dessas terras para formar o patrimônio da primeira igreja,
dedicada a Santo Antônio, erguida às margens do Rio Piancó, com uma
arquitetura invejável, mantida até os dias atuais. Representou o doador
durante o ato jurídico de transferência de bens, o Mestre de Campo Pedro
Alves de Araújo(filho do fundador da povoação Manuel de Araújo Carvalho) e
como curador e administrador da beneficiária o Sargento-Mor Manuel da Silva
Passos. Esse acontecimento é tido como o marco oficial da oficialização da
fundação de Piancó, motivo pelo qual a data é anualmente lembrada com
diversas comemorações.

A emancipação política foi conquistada em 11 de dezembro de 1831, recebendo
a denominação de Vila Constitucional de Santo Antonio de Piancó. Sua
instalação oficial se deu no dia 2 de maio de 1832. Já a Comarca foi criada
pela lei provincial 250, de 9 de outubro de 1884, suprimida por decreto de
17 de abril de 1890 e restaurada pela lei nº 8, de 15 de dezembro de 1892.
O retrocesso voltou a ser registrado pôr pouco tempo, no ano de 1916,
quando nova supressão veio a ocorrer por iniciativa do Padre Aristides,
chefe de política dominante, em represália ao Juiz de Direito da época, que
acabou removido, trazendo em conseqüência a normalização do trabalho
forense.

O nome Piancó originou-se do chefe dos Índios Coremas, que assim se
chamava. Foram eles os primeiros habitantes da região. O mesmo nome foi
dado ao rio que banha todo o Vale do Piancó, constituído de vinte cidades.
A palavra Piancó em Tupi significa terror, pavor.

Histórico Nos últimos decênios do século XVII, a região do rio Piancó foi
desbravada por bandeirantes paulistas e baianos, vindos do São Francisco e,
também, do Piauí, e que dividiram as terras entre si. Os indígenas da
região – Cariris – se uniram e resistiram, estendendo-se a luta pelas duas
primeiras décadas do século XVIII, até a submissão total dos silvícolas,
dos quais restaram muitas aldeias de onde surgiram vilas e cidades.

Documentos registram 9 aldeias cariris, entre elas a de Nossa Senhora do
Rosário do Curoma (atual sede do Município de Coremas, desmembrado de
Piancó) e a de São José do Panati, que deu origem a Piancó. Foi o
capitão-mor Manoel de Araújo Carvalho quem primeiro criou fazendas de gado
e construiu casas no vale do rio, depois de ajustada a paz com os Coremas,
a 8 de novembro de 1748. Por esta razão, a ele se atribui a fundação de
Piancó.

Formação Administrativa Elevado à categoria de vila com a denominação de
vila constitucional de Santo Antônio do Piancó, pelo decreto de 11-12-1831.
Constituí do do distrito sede. Instalado em 02-05-1832. Pela lei municipal
nº 17, de 07-01-1896, são criados os seguintes distritos: Água Branca,
Jucá, São Francisco do Aguiar, Curema, Santana dos Garrotes, Boqueirão dos
Couxos e Ôlho d`Água e anexado ao município de Santo Antônio do Piancó.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila com a
denominação de Piancó é construída de 8 distritos: Piancó, Água Branca,
Boqueirão dos Couxos, Jucá, São Francisco do Aguiar, Curema, Santana dos
Garrotes e Ôlho d`Água. Elevado a condição de cidade e sede municipal com a
denominação de Piancó, pelo decreto estadual nº 443, de 21-11-1933. Em
divisão administrativa referente ano de 1933, o município aparece
constituído do distrito sede. Em divisões territoriais datada s de
31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece construída de 6 distritos:
Piancó, Curema, Jucá, Ôlho d`Água , Santana dos Garrotes e São Francisco do
Aguiar.

Pelo decreto-lei estadual nº 1010, de 30-03-1938, o distrito de Curema
passou a denominar-se Boqueirão de Curema. Pelo decreto-lei estadual nº
1164, de 15-11-1938, o distrito de Boqueirão do Curema volta a denominar-se
simplesmente Curema, Jucá passou a denominar-se Caatingueira, Francisco do
Aguiar a denominar-se simplesmente Aguiar e Santana dos Garrotes a
denominar-se Garrotes.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é
constituído 6 distritos:

Piancó, Caatingueira ex-Jucá, Curema ex-Boqueirão de Curema, Ôlho d`Água,
Sant`Ana e Aguiar ex-Francisco Aguiar. Pelo decreto-lei estadual nº 520, de
31-12-1943, são criados os distritos de Andreza, Boqueirão dos Cochos e
Itajubatiba e anexado ao município de Piancó.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é
constituído 9 distritos: Piancó, Aguiar ex-São Francisco do Aguiar,
Boqueirão dos Cochos, Caatingueira, Curema, Garrotes, ex-Santana dos
Garrotes, Andreza, Itajubatiba, Ibura ex-Ôlho d`Água.

Pela lei estadual nº 168, de 05-12-1948, o distrito de Andreza passou a
denominar-se Nova Olinda. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o
município é constituído 9 distritos: Piancó, Aguiar, Boqueirão dos Cochos,
Caatingueira, Curema , Garrote, Itajubatiba, Nova Olinda ex-Andreza e Ôlho
d`Água ex-Ibura. Pela lei estadual nº 1005, de 30-12-1953, desmembra do
município de Piancó o distrito de Curema. Elevado à categoria de município
com a denominação de Coremas.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído 8
distritos: Piancó, Aguiar, Boqueirão dos Cochos, Caatingueira, Garrotes,
Itajubatiba, Nova Olinda e Ôlho d`Água. Pela lei estadual nº 2114, de
15-07-1959, desmembra do município de Piancó o distrito de Caatingueira.
Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de
1-VII-1960, o município é constituído 6 distritos: Piancó, Aguiar,
Boqueirão dos Cochos, Garrotes, Nova Olinda e Ôlho d`Água. Pela lei
estadual nº 2669, de 20-12-1961, desmembra do município de Piancó o
distrito de Aguiar. Elevado à categoria de município. Pela lei estadual nº
2681, de 22-12-1961, desmembra do município de Piancó o distrito de
Boqueirão do Cochos. Elevado à categoria de município. Pela lei estadual nº
2668, de 22-12-1961, desmembra do município de Piancó o distrito de Nova
Olinda. Elevado à categoria de município.

Pela lei estadual nº 2670, de 22-12-1961, desmembra do município de Piancó
o distrito de Ôlho d`Água. Elevado à categoria de município.

Pela lei estadual nº 2672, de 22-12-1961, desmembra do município de Piancó
o distrito de Garrotes. Elevado à categoria de município com a denominação
de Santana dos Garrotes.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do
distito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica municipal Vila constitucional de Santo Antônio do
Piancó para simplesmente Piancó alterado, pelo decreto estadual nº 443, de
21-11-1933.

Ascom

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

2020: deputado aliado de João defende a unificação da oposição em CG

Pré candidato a prefeito de Campina Grande, o deputado estadual Inácio Falcão (PCdoB), defendeu, nesse fim de semana, a unificação da oposição para enfrentar o candidato a ser apresentado pelo…

Vereadora acusa colega de desconhecer regimento da CMJP ao apresentar projeto contra atletas trans

Ao se unir a entidades LGBT e feministas a vereadora pessoense Sandra Marrocos (PSB), acusou a colega de parlamento vereadora Eliza Virgínia (PP), de desconhecer o regimento da casa ao…