O vereador Marcos Henriques do PT repudiou hoje no Plenário da Câmara Municipal de João Pessoa a fala do Deputado Federal Julian Lemos (PSL) que, em entrevista ao programa Frente a Frente da Rede TV, dirigiu-se de forma pejorativa contra a comunidade universitária.

O vereador lamentou que, “mais uma vez, um aliado do governo Bolsonaro tenha extrapolando os limites da civilidade” e, segundo ele “atacado, de forma pejorativa e covarde, a comunidade universitária”.

A crítica do vereador tem haver com o conteúdo da respectiva entrevista, concedida na última segunda-feira (12/08), quando o deputado federal paraibano, referiu-se às universidades como lugar de “balburdia” e adjetivou os estudantes de “maconheiros”. De acordo com o vereador, não é a primeira vez que isso acontece, afirmando que “essa postura faz parte de um enredo fascista e mal-educado, assumido pelo ideário descomprometido com ética e com o decoro que se instalou no país”. Em sua inserção o vereador solidarizou-se com a os professores, alunos e servidores, tendo afirmado que os mesmos merecem todo o respeito dos paraibanos e dos brasileiros.

Marcos Henriques ainda disse que o deputado, eleito com o voto do povo, não possui compromisso com a educação e, muito menos com o Brasil, haja vista que “utiliza-se de meios rasos e não possui capacidade debater temas importantes”. Ao finalizar sua intervenção o vereador ainda destacou que as universidades são importantes instrumentos de produção, de desenvolvimento e de reprodução da ciência e do saber e, por isso, merece todo o respeito da sociedade.

Indignado Marcos Henriques concluiu “ao agir dessa forma o parlamentar do PSL apenas se iguala ao que de pior existe na história da política, se rebaixa à condição dos levianos e apenas demonstra sua incapacidade para um diálogo construtivo e civilizado a cerca do bem comum”, arrematou.

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PSB Nacional se exime de responsabilidade sobre impasse e esclarece que não houve intervenção

“Não agi direta ou indiretamente para que isso ocorresse”. A declaração é do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, ao negar, em entrevista nesta segunda-feira (19), a tese de intervenção…

Opinião: Cartaxo observa a crise no PSB como “tábua de salvação”, mas o PT não permitirá sua redenção

O impasse foi formado. Efetivamente há uma quebra de unidade nas hostes do PSB. Uma formação foi dissolvida, afetando a ordem unida do grupo, não estando em compasso soldados e…