O partido ecológico Nacional, o PEN, vai passar a se chamar “Patriota”. Mas não é apenas o nome que mudou.

O comando da legenda no Estado da Paraíba também ganhará nova direção. Saem os deputados Edmilson Soares e Branco Mendes e entra Julian Lemos, consultor de segurança e homem forte de Jair Bolsonaro no Brasil.

A informação é do jornalista Clilson Júnior e foi confirmada por fonte ligada ao presidente nacional do PEN, Adilson Barroso.

Com a articulação, tanto Branco, quanto Edmilson devem procurar uma nova casa, seguindo o mesmo destino do deputado estadual Tião Gomes (sem partido), que recentemente também perdeu o comando do PSL na Paraíba.

Além da mudança de comando, mudará os rumos do partido, já que o presidente nacional do partido afirmou que a legenda tem a pretensão de lançar chapa pura para o governo da Paraíba, mas que não vai se opor a fazer coligações se houver interesse de partidos "idôneos" em compor uma coligação.

"O partido lançará candidaturas ao senador, deputado estadual, federal e até a governador da Paraíba em chapa majoritária nas próximas eleições” confidenciou Adilson.

O PEN foi fundado em 2012 pelo ex-deputado Adenilson Barroso.

A sigla mantém três deputados federais e 15 estaduais. A expectativa é que as filiações de pessoas simpáticas a Bolsonaro aplaquem eventuais defecções causadas pela mudança de perfil do partido.

“A partir de quinta, o PEN na Paraíba é de Jair Bolsonaro, prego batido e ponta virada!”, disse o colunista.



Redação

 

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

DANÇA DA CADEIRAS: vereadora se licencia e mais um suplente deverá assumir vaga na CMJP

A vereadora Helena Holanda (Progressitas) é a mais nova vereadora a protocolar pedido de licença na Câmara Municipal de João Pessoa. A parlamentar anunciou nesta terça-feira (31) que vai tirar…

Bolsonaro diz que Moro é egoísta e não ajuda em crise da Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro disse que o Ministro da Justiça, Sergio Moro, é “egoísta” e não está atuando para defender as suas posições no enfrentamento às medidas restritivas dos Estados…