O pedido de vista do juiz Carlos Neves adiou para o dia 29, o julgamento do processo que pede a cassação do mandato do deputado estadual, Leonardo Gadelha (PSC) por infidelidade partidária. A Corte do Tribunal Regional Eleitoral chegou a iniciar o julgamento de uma das duas preliminares, mas não chegou a analisar o mérito do processo movido pelo PSB.

O relator, juiz João Ricardo Coelho chegou a indeferir a preliminar de conexão dos advogados para que o mesmo relator analisasse os dois processos que tratam de suposta infidelidade. Ele foi acompanhado pela juíza Niliane Meira. No processo, o PSB de Ricardo Coutinho afirma que o parlamentar cometeu Infidelidade Partidária ao deixar a legenda e se filiar ao PSC sem motivo estabelecido.

"Na ação a legenda socialista cobra junto à Justiça Eleitoral a retomada de mandato do parlamentar e a imediata posse do seu segundo suplente, Alexandre Urquiza de Sá que pertence aos quadros do PSB", detalha o advogado da legenda Noaldo Meireles.

 

 

Jornal O Norte

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Barbosa minimiza possibilidade de mais deputados da base serem citados na Calvário

Após a deputada estadual Estela Bezerra (PSB) ser citada na Operação Calvário e ter colocado seus sigilos bancário, patrimonial e telefônico à disposição da Justiça, para que, segundo ela, tudo…

Áudio revela articulação de Bolsonaro para tirar líder do PSL

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi gravado nesta quarta-feira à tarde pedindo o apoio de deputados da legenda para destituir o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir, que acabou…