Por pbagora.com.br

MAIS MÉDICOS: novos profissionais devem começar a atuar na Paraíba já na próxima segunda; 13 são estrangeiros

O Programa Mais Médicos criado pelo Governo Federal gerou polêmica logo que foi lançado, mas deve acabar virando ‘a menina dos olhos’ do Governo Dilma Rousseff, assim como o Bolsa Família do Governo Lula, principalmente por ser destinado a saúde da população mais carente.

Em visita à Paraíba no final da última semana, a ministra da Secretaria da Relações Institucionais, Ideli Salvatti, falou com o PB Agora sobre a expectativas para o programa em todo o país e destacou que, para o Estado paraibano, foram solicitados cerca de 200 médicos para suprir a necessidade nos 223 municípios do Estado, todavia, nessa primeira etapa só poderão ser encaminhados 47 profissionais.

No estado, os 47 médicos serão distribuídos da seguinte maneira: João Pessoa (20); Bayeux (2); Areia (2); Alagoinha (1); Bananeiras (1); Barra de Santana (1); Belém do Brejo do Cruz (1); Caaporã (1); Cacimba de Dentro (1); Cajazeirinhas (1); Catingueira (1); Caturité (1); Conde (1); Cruz do Espírito Santo (1); Cubati (1); Ingá (1); Itapororoca (1); Juripiringa (1); Lucena (1); Nova Floresta (1); Pocinhos (1); São Miguel de Taipu (1); Serra Redonda (1); Solânea (1); Tavares (1) e Vieirópolis (1).

Dos 13 médicos estrangeiros que trabalharão na Paraíba, nove são cubanos, dois espanhóis e dois bolivianos, que atuavam na Argentina.
Os municípios de Água Branca e Baía da Traição receberão médicos espanhóis; São José de Piranhas receberá os bolivianos; e os cubanos irão para os municípios de Algodão de Jandaíra, Damião, Gado Bravo, Juazeirinho, Manaíra e Serra Grande.

"maisA previsão é que os profissionais chegarão aos municípios entre os dias 14 e 15 de setembro e comecem a trabalhar no dia 16. A estimativa é que mais de 180 mil paraibanos sejam beneficiados, inicialmente, com o Programa.

Ainda conforme Salvatti, o número médicos ainda é menor que a demanda em todo o páis, mas será suprido de acordo com a necessidade e a disponibilidade dos médicos.

Para a ministra, a presidente Dilma acertou ao criar o programa Mais Médicos, abrindo oportunidade para profissionais estrangeiros e atendendo a necessidade da população carente nos quatro cantos do país.

“O programa é importante para que se tenha médico em todos os municípios, por enquanto a necessidade é maior que a oferta, mas o Governo Federal vai buscar médicos e incentivar os brasileiros a aderirem ao programa, já que o país não tem o número de médicos suficiente para suprir a necessidade.”, destacou.

 

 


Márcia Dias


PB Agora

 

Notícias relacionadas

João Azevêdo diz que relação com Ministério da Saúde não é uma deferência ao Governo

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), rechaçou qualquer tese de proximidade política com o governo Bolsonaro após o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Medeiros, ressaltar a importância do…

PSOL critica pressa de Hugo Motta para privatizar Empresa de Correios

O ex-presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino, criticou hoje a iniciativa do deputado federal Hugo Mota (Republicanos/PB) de pedir urgência para a apreciação de PL 591/2021 que propõe a privatização…