A oposição da Câmera de João Pessoa trouxe durante entrevista coletiva nesta quarta-feira (28) mais denúncias sobre o caso Lagoa. Desta vez, mais documentos foram apresentados e suspeitas de irregularidades foram levantadas.

 

O líder da oposição, o vereador Bruno Farias (PPS) revelou através de documentos que serão enviados para a Polícia Federal um episódio que ele entitulou como “estranho”. Ele trouxe documentos que comprovam o pagamento do valor de R$ 2 milhões de reais feitos com recursos da prefeitura a tipo de antecipação e foi creditado na conta da empresa executora da obra da Lagoa, a Compec .A contrapartida global era de R$ 1 milhão. O parlamentar destacou que pode existir uma relação com o pleito daquele ano, onde o irmão do prefeito, Lucélio Cartaxo era candidato a senador.

 

“Muito estranho esse empenho e a liquidação desse empenho nas proximidades das eleições de 2014, quando Lucelio foi candidato a senador. Esse empenho, a título de antecipação de pagamento, foi feito com recursos próprios da PMJP, no valor de 2 milhões de reais, quando a contrapartida global do convênio era de 1 milhão e meio, o que já demonstra estranheza e que merece investigação, pois, como a própria portaria interministerial disciplina, esse pagamento deve ser feito de maneira extraordinária, e não passa pela conta do convênio.

 

Confira abaixo ou clicando aqui:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

DEU NA VEJA: Investigações de corrupção contra RC avançam

A coluna Radar da publicação online da Revista Veja deste sábado, dia 30, traz a informação de que as investigações, no âmbito da Operação Calvário, contra o ex-governador da Paraíba,…

Avante intensifica diálogo com prefeitáveis de João Pessoa

Visando o alinhamento político nas eleições em João Pessoa, o partido Avante, um dos que mais crescem na Paraíba, intensificou o diálogo com prefeitáveis rumo ao pleito eleitoral deste ano.…