A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: Te cuida, Veneziano! Em política, Cunha Lima não dá ponto sem nó…

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Pode ser verdade esse zum-zum-zum de que o senador Veneziano Vital (MDB) estaria se entendendo politicamente com Cássio Cunha Lima (PSDB)? É claro que pode; por que não?!

Ninguém deve se surpreender com nada em política. Os exemplos de alianças “impossíveis” são muitos. O caso mais emblemático, no plano nacional: o comunista Luís Carlos Prestes aliou-se a Getúlio Vargas após este entregar a mulher dele, Olga Benário, para que os nazistas a matassem, grávida, em câmara de gás, em campo de concentração da Alemanha.

Aqui na Paraíba, em pleno auditório da Associação Paraibana de Imprensa (API), os históricos adversários Antônio Mariz e Marcondes Gadelha deram-se as mãos para formar uma aliança política. A rasgação de seda verbal entre ambos está gravada em fita k-7 nos meus arquivos.

Besta foi aquele que trocou tapas e tiros nas avenidas de Sousa defendendo um lado ou outro.

O porém
Em política tudo pode, mas depende…
Depende, primeiramente, se é conveniente para os agentes políticos e seus respectivos partidos.

Política também é a arte de somar, e há situações em que o êxito eleitoral necessariamente passa pelo “impossível”. Foi assim com Prestes e Getúlio (neste caso, contra o Nazismo), como também com Mariz e Marcondes.

A questão é: para quem seria vantajosa uma composição política entre os Vital do Rego e os Cunha Lima, adversários históricos que disputam, pau a pau, a supremacia política na região polarizada por Campina Grande?

Quem abdicaria do protagonismo?

Sim, porque, assim como na física, na política dois corpos não cabem no mesmo espaço…

Filme velho
Revendo um filme já visto, no mesmo cenário: as famílias Cunha Lima e Ribeiro disputavam a tal supremacia política na região polarizada por Campina Grande, o segundo maior colégio eleitoral da Paraíba.

Até o dia em que os Ribeiros caíram na onda de compor uma aliança com os históricos adversários. Perderam o protagonismo e, no vácuo deixado por eles, os Vital do Rego pegaram o bastão e, até hoje não largaram.

O que isso pode significar? Que Veneziano precisa tomar muito cuidado porque, em política, com Cunha Lima não se brinca…

Será?
Segundo notícias e comentários veiculados nos mais diversos veículos de comunicação da Paraíba nesta segunda-feira (26), tanto Cássio Cunha Lima quanto Veneziano Vital teriam confirmado que andaram conversando. Mas não sobre política.

Vem cá! Que outro assunto Cássio e Vené poderiam estar conversando, que não fosse política?

Se é que estão mesmo conversando. Pelo menos não vimos ou ouvimos deles próprio qualquer confirmação.

E nesse nosso meio, o que não falta é gente pronta pra inventar “fatos”.

Ou dar projeção a “fatos” inventados…

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      3
      Compartilhe