A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: O total descontrole de Jair

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Descontrolado.  Exaltado, deselegante, intempestivo, mal educado e desumano.  Como definir os atos  insanos do atual chefe da nação? O homem cada vez mais nos surpreende, e agora mirou a sua artilharia para atacar a Imprensa com um perceptível sentimento de raiva. A Imprensa não é culpada pelo desgoverno desse cidadão, que aliás, pouco fez para evitar que chegássemos a triste marca de mais de 500 mil vidas perdidas pela Covid. Afinal, ele nunca fez esforço para comprar a vacina, diferente dos demais países, e em nenhum momento levou a pandemia a sério.

Mesmo com os números de óbitos aumentando a cada dia numa proporção alarmante, ultrapassando a triste marca de meio milhão de mortos, Jair Bolsonaro segue irredutível e dando péssimo exemplo.

Desaconselha a vacinação; insiste em pregar o desuso da máscara, defende a cloroquina na contramão da ciência;  e chegou a afirmar que a vacina não é eficaz contra o vírus. O inquilino do Palácio do Planalto insiste com suas loucuras. E a cada dia solta uma nova “pérola”.

Desumano, desdenhou da doença e se manteve indiferente aos mais de 500 mortos pela Covid. Achando pouco,  no extremo do absurdo, chegou a simular falta de ar. Tanta estupidez. Quanta desumanidade.  

E tem mais: infringe as leis de trânsito, descumpre a Constituição Federal, incita o tumulto, causa aglomeração e como mais um ato de seu péssimo comportamento, passou a “xingar” os brasileiros que desaprovam seus atos insanos e estúpidos.

A nossa maior liderança, por ignorância e estupidez,  insiste em defender as práticas que levam à morte (atitude de genocida). A insanidade do atual inquilino do Palácio do Planalto é grave. Pelo cargo que ocupa, esse cidadão merece o respeito de todos. Suas atitudes, no entanto, são reprováveis.  

Ele nunca se comportou como Presidente da República.

Por Severino Lopes

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe