Por pbagora.com.br
TSE – Tribunal Superior Eleitoral Urna eletrônica

Alguns municípios até sinalizaram que esquentariam a disputa eleitoral nos próximos dias na Paraíba. Pedidos de tropas federais para dar reforço nas eleições municipais desse ano até chegaram a ser realizados. Mas, faltando menos de dez dias para o pleito, o clima arrefeceu.

Não há mais registros, pelo menos até agora, de novos e calorosos confrontos.

O cenário é mais de busca pelos votos dos indecisos, do que para conquistar o voto dos adversários. A preço de hoje, justiça eleitoral e a Polícia Militar, que se organizaram com antecedência e planejamento, estão prontas para dar conta do recado.

De acordo com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, José Ricardo Porto, a Corte está preparado e equipada para realizar o pleito de forma democrática e eficiente.

Já o comandante geral da Polícia Militar da Paraíba, coronel Euller Chaves, declarou que a PM está observando o clima de campanha em todas as cidades do estado para verificar em quais municípios há um maior acirramento e que por conta disso merecerá uma atenção especial por parte das forças de segurança. Por isso, já se antecipou e enviou reforços para algumas localidades, assegurando a ordem, com planejamento e eficiência.

Um viva à democracia!

EM AREIA

O PT, que até então disputava a vice na chapa do PDT, se frustrou ao saber que a cabeça de chapa, a empresária Aparecida Perazzo, declinou da disputa faltando menos de 15 dias para as eleições. Avisou que não comungou com o acordo, tampouco concordava com a decisão de apoiar a chapa adversária.

PREJUÍZO

Já em Puxinanã, os candidatos a prefeito e a vice na chapa do PROS terão que desembolsar a bagatela de R$ 95 mil para pagamento de uma multa aplicada pela juíza Carmen Helen Agra de Brito, da 50ª Zona Eleitoral por descumprimento de decisão judicial e realização de atos de campanha com aglomeração, em meio à pandemia do novo coronavírus.

NO APAGAR DAS LUZES

Enquanto isso, quem deve assegurar dois meses de salário e ainda 2/12 de décimo terceiro é o ex-emedebista Dihêgo Amaranto que foi nomeado para o cargo de Secretário Adjunto de Turismo da gestão Luciano Cartaxo (PV) faltando menos de dois meses para o mandato ser encerrado.

PEGOU  MAL

A decisão de Dihêgo Amarando em se alinhar ao prefeito Luciano Cartaxo (PV) às vésperas das eleições gerou muitas especulações, inclusive de supostos acordos não cumpridos na noite desta sexta-feira (06). Nos bastidores a tese era de que Zé Maranhão e seu grupo levariam Nilvan Ferreira para o bloco de Edilma Freire (PV), numa reviravolta nessa retal final da campanha eleitoral. Todavia, algo parece que não fluiu como deveria e, imediatamente a executiva estadual do MDB evitou um incêndio e emitiu uma nota expulsando oficialmente Amaranto dos quadros da agremiação minutos após o anúncio de sua nomeação para trabalhar dois meses na gestão municipal.  Como os bastidores da política são ‘inimagináveis’, sabe-se lá o que pode ter sido acertado nesse intervalo.

ESPERADO

As consequências da flexibilização de da falta de consciência coletiva apareceram. Segundo o secretário Geraldo Medeiros, a alta de casos chegou logo após a permissão pela realização de eventos. O recado mais uma vez é claro. Não se aglomerem, usem máscara e mantenham o distanciamento agora.

Márcia Dias
PB Agora

Notícias relacionadas

Levantamento do PB Agora contabiliza 10 nomes cotados para disputar única vaga da Paraíba no Senado em 2022

Um levantamento feito pela reportagem do PB Agora contabilizou ao menos dez nomes cotados para ingressar na disputa pela única vaga da Paraíba no Senado Federal nas eleições de 2022.…