A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: após Eva, ou Romero Rodrigues apoia João Azevêdo ou amargará uma derrota sem medalhas em 2022

Existe uma técnica de estrangulamento, em artes marciais e sistemas de defesa pessoal, que é realizada com o uso dos braços e mãos à volta do pescoço do oponente, que está de costas para o executante. O nome, pelo menos até saiba eu, chama-se “mata-leão”.

E foi isso que o governador João Azevêdo (Cidadania) aplicou. Um “golpe” sobre o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD). Em um só manejo, ou ação, trouxe para o tatame nada menos que a vereadora e ex-deputada estadual Eva Gouveia para seu aporte eleitoral.

Eva, um expoente do PSD não só na Paraíba, mas na executiva nacional do partido, teve o aval do presidente da agremiação no país, Gilberto Kassab, sinal verde para a parlamentar figurar na base de sustentação do governo do estado paraibano.

Está Eva Gouveia, viúva do saudoso Rômulo Gouveia – pessoa muito querida entre os paraibanos – respondendo, agora, a secretaria Executiva de Articulação Política, com a função de chefiar o novo escritório de representação que voltará a funcionar em Campina Grande.

E Romero Rodrigues? Está em que local da luta do campeonato para as eleições de 2022? Não se sabe! Mas é certo que não enfrentará a disputa pelo governo da Paraíba. Em bom combate, no máximo, buscará uma vaga como deputado federal. E tem sim, ele, golpes e fôlego formulados para isso.

E falo sem medo de ser feliz: Rodrigues tem um eleitorado fiel. Fez um bom governo à frente da Prefeitura Municipal de Campina Grande por dois mandatos, elegendo, inclusive, seu sucessor: Bruno Cunha Lima (PSD).

E no campeonato futuro, qual seja; as eleições de 2022, ou Rodrigues toma uma técnica de base voltada ao solo, ou será derrubado, exatamente, pelos seus ainda aliados do PSDB e delegação do clã Cunha Lima.

O tempo corre, e uma simples chave de braço pode figurar no seu sepultamento político ou redenção. E no “podium” de medalhas não há tempo para indefinições. Ou é oposição ou situação. A equação é simples desde os jogos olímpicos da antiga Grécia. Romero sabe da regra, pois ela é clara.

Marília Mendonça

A coluna presta homenagem à grande artista Marília Mendonça. Embora seja eu distante da música sertaneja, entendo o talento dessa pessoa incrível. Partiu muito cedo. Um trágico episódio que marcará, de forma profunda, a música popular brasileira. A todos os fãs, familiares, amigos – amigas, meu sincero pesar!

Eliabe Castor
PB Agora

PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe