A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: Alianças Sustentáveis

Alianças bem feitas e com cordões de três dobras podem vencer qualquer obstáculo. É isso que vem fazendo o governo Bolsonaro de norte a sul do país, através do Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira e líderes do PL. Em vários estados, eles têm avançado principalmente sobre lideranças do PSDB, enfraquecendo a cada dia a pré-candidatura à presidência do ex-governador de São Paulo, João Dória, como também, tem avançado sobre o partido União Brasil e o PSD, do Kassab, principalmente em Minas Gerais.

A boca miúda é dito que o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, é o carro chefe desse projeto, com cara de vitorioso. Nos últimos dias, o presidente Jair Bolsonaro tem ganhado forças sobre o eleitorado brasileiro e as pesquisas de opinião se encarregam de confirmar essa minha afirmação. Ninguém se engane, nem se espante, se nas próximas eleições do próximo mês de outubro, Bolsonaro, chegue a levar no primeiro turno. Você pode até rir dessa minha afirmação, no entanto, é para essa direção que caminha a carruagem. A esquerda anda totalmente desarticulada, Lula caminha sem direção e por cima de tudo um de seus contricantes, o Ciro Gomes, vive diariamente o pondo no canto da parede.

Na nossa querida Paraíba as coisas caminham bem devagar. O Governador, João Azevedo, anda um pouco indeciso quanto a declarar quem é o seu candidato ao Senado. O PT, no Estado, anda bem dividido, como também em outros estados do nordeste, situação que favorece a candidatura de Bolsonaro. Quanto aos grupos que se opõem ao Governador João Azevedo, ainda que tenhamos nomes lançados, nada está definido. Na última visita de Bolsonaro a Natuba, cidade da Paraíba com dez mil habitantes, Pedro Cunha Lima, pré- candidato do PSDB ao governo do Estado, se fez presente. Essa faísca tem cara de que Nilvan Ferreira sairá como vice de Pedro ou optará por uma vaga a deputado Federal ou estadual.

No desembocar das águas, talvez o capitão opte por Pedro Cunha Lima como seu candidato ao Governo do Estado. Quanto ao Senado a oposição a João Azevedo também está indefinida. Bolsonaro apesar de ter afirmado apoio a Bruno Roberto ao Senado, o grito não foi tão forte para se dar crédito. Esperemos para ver o que Bolsonaro vai fazer com Efraim Filho (União Brasil). No final de junho, tudo deve estar em seus devidos lugares e o povo que hoje se encontra na plateia, descerá às urnas e depositará seu voto naqueles que mais inspiram confiança.

Elcio Nunes
@elciojnunes

PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe