Por achar muito procedente os questionamentos embutidos no texto, a coluna transcreve reflexões e escritos da lavra da jornalista e professora de Comunicação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Joana Belarmino.

Profissional das mais qualificadas, de credibilidade e referência para gerações de jornalistas paraibanos, Joana produziu o seguinte texto:

“A Notícia dentro da Notícia

O Fantástico (programa dominical da Rede Globo de Televisão) traz uma matéria incriminatória contra o ex-governador Ricardo Coutinho, e, no meio da reportagem, a informação de que o empresário (Daniel Gomes, ligado à Cruz Vermelha do Rio Grande do Sul) gravava o político desde 2010.

Notem que, na reportagem, o ex-governador é tratado como chefe de uma organização criminosa, e os seus secretários são qualificados como comparsas.
Digam-me então: O empresário, qualificado na reportagem como empresário, queria as licitações, queria o controle dos hospitais, teve tudo isso, e gravava por que? A que grupo político ele atendia? Que arapuca teceu, com tanto cuidado, a mando de quem?
A história se repete, ora como farsa, ora como tragédia. Eu diria mais: aqui na Paraíba, a história brasileira dos últimos anos se repete como farsa e tragédia. A Paraíba que a organização liderada por Ricardo Coutinho ergueu pode estar ruindo agora, tragicamente.

Lembram-se do quadrilhão do Pt? Depois que a mídia fez o espetáculo, depois que a justiça e a política sórdida ergueram seus tentáculos e desobstruíram o caminho, as milhares de páginas do quadrilhão ganharam o mofo do arquivamento. Na Paraíba, a história repete-se como farsa e como tragédia, e, com os mesmos clichês, a justiça, a política e a mídia querem desobstruir o caminho. Deus nos livre do que pode vir a ser o nosso devir em 2020”.

Valores

Realmente, é no mínimo curioso que nas reportagens quase todas o tal Daniel é tratado por empresário, e o ex-governador Ricardo Coutinho como chefe de quadrilha.

 

Wellington Farias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Eduardo defende ações permanentes de educação no trânsito

Por dia, 18 vítimas de acidentes de trânsito ficam inválidas e Eduardo defende ações permanentes de educação Os acidentes de trânsito no período de janeiro a outubro de 2019 ocasionaram…

Aliados discordam de Cartaxo sobre critérios para escolha de candidato

Ao destacar que João Pessoa não pode voltar ao retrocesso e afirmar que o Partido Verde terá candidatura própria à prefeitura de João Pessoa neste ano, o prefeito da capital…