A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: a pergunta suicida de Nilvan a Cícero. Quem terá sido o autor da infeliz ideia?

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

A coisa soou tão absurdamente negativa para Nilvan que não seria demais perguntar se foi ingenuidade ou má fé.

Ingenuidade se partiu do candidato; má fé se o orientaram a fazê-lo.

Pois bem. No mais recente debate entre Cícero Lucena (Progressistas) e Nilvan Ferreira (MDB), que disputam a Prefeitura de João Pessoa, promovido pela TV Master, o candidato do MDB caiu na besteira de perguntar ao seu adversário se ele entregaria as chaves do cofre da Prefeitura a alguém que já foi preso por corrupção?

Nilvan pensava estar armando uma arapuca para o oponente, certamente na expectativa de que Cícero respondesse que não, ao que ele, Nilvan, na sequência, iria lembrar que o próprio Cícero fora preso uma vez.

De vidro…

Nilvan, ou quem por ventura lhe orientou nessa esparrela, esqueceu de que, recentemente, Cícero havia sido inocentado pela Justiça. E mais: esqueceu de que numa entrevista com Cícero no Correio Debate, havia comemorado a absolvição de Cícero, pela Justiça, ao confrontar a abordagem de um ouvinte notoriamente alinhado politicamente com Ricardo Coutinho.

Como se não bastasse a inconveniência da pergunta, Nilvan também não se lembrou de que, num passado recente, a Polícia vasculhou uma loja de sua propriedade que, segundo foi amplamente noticiado, estaria vendendo roupa de grife falsificada, e cujo inquérito ainda corre em segredo de justiça.

Os fatos até aqui narrados mostram claramente que a pergunta de Nilvan ao seu oponente, além de extremamente inoportuna, surtiu o efeito de um tiro detonado pela culatra.

Com a bola “quicando” na pequena área e frente a frente com o adversário, sozinho, Cícero sapecou de voleio: “Com certeza, candidato, eu não entregaria a você, que a única empresa que conseguiu gerenciar está respondendo processo por falsificação de roupa e sonegação de impostos. Com certeza pra esse gestor jamais eu entregaria”.
Aproveitando o ensejo, Cícero Lucena ainda se estendeu sobre outro assunto que depõe contra a reputação do oponente, conhecido na Paraíba como o episódio do “coro de rato”.

Desgaste

Numa reta final de campanha eleitoral, o menor deslize pode ser fatal até para uma campanha em curso de vitória. Pior ainda será para quem está na desvantagem.
Este recorte do debate na TV Master viralizou nas redes sociais com a velocidade e o efeito de um rastilho de pólvora, através de dois vídeos: um confrontando a pergunta com a demolidora resposta de Cícero; a outra, também com a mesma pergunta confrontada com a defesa que o próprio Nilvan havia feito quando entrevistou Cícero Lucena.

Resumo da ópera: vem a calhar o velho ditado, segundo o qual quem tem telhado de vidro não joga pedra no dos outros.

Pesquisas

Circulam notícias de que no TRE da Paraíba estão registradas mais três pesquisas eleitorais sobre a disputa pela Prefeitura de João Pessoa.
As três primeiras, neste segundo turno, confirmam o favoritismo de Cícero.
Vamos aguardar as próximas.

Cracaço

O mundo está de luto nesta quarta-feira (25) com a morte, aos 60 anos de idade, de um dos maiores craques que os gramados futebolísticos do mundo serviram de palco: o argentino Diego Maradona.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      6
      Compartilhe